PUBLICIDADE

Página Principal : História


FEUDALISMO



O FEUDALISMO

CONCEITO:


Ø Modo de Produção que vigorou na Europa Ocidental durante a Idade Média e que se caracteriza pelas relações servis de produção.

ORIGENS:


Ø Romanas:

§ Clientela: relação de dependência pessoal entre indivíduos.
§ Colonato: fixação do colono a terra.
§ Precarium: entrega de terras a um grande senhor em troca de proteção.
§ Vilas: unidades econômicas (grandes propriedades agrárias).

Ø Germânicas:

· Economia agropastoril.
· Comitatus: relações de fidelidade entre o chefe e seus guerreiros.
· Beneficium: concessões de terras em troca de fidelidade.
· descentralização política.

ECONOMIA:


§ agrária e rural.
§ auto-suficiente.
§ feudo: unidade de produção à propriedade feudal ou senhorial.
§ pouco uso de moeda.
§ comércio reduzido à localizado.
§ baixo nível técnico.
§ sistema trienal de rotação de culturas: preservação do solo.

SOCIEDADE:


· estamental, hierarquizada, estratificada e clerical.

§ Clero:
membros da Igreja à rezar à controlador da ideologia medieval.
§ Nobreza:
posse territorial à combater à cavalaria (honra, desprendimento e destreza, lealdade e heroísmo) à controlava o poder feudal.
§ Servos:
camponeses à presos (vinculados, ligados)

POLÍTICA:


§ descentralização política: fragmentação do poder
§ particularismos feudais: senhores feudais à poder.
§ o rei exercia pouca influência.
§ direito consuetudinário.
§ Monarquias Feudais: caráter simbólico do poder real e

A DIVISÃO DO FEUDO:
Mansos ou reservas.

§ Manso senhorial (domínio): uso exclusivo do senhor feudal.
§ Manso servil: arrendada aos servos e dividida em tenências.
§ Manso comunal: terras comuns (pastos, bosques, florestas).

OBRIGAÇÕES SERVIS:
relações servis.

Ø relações de exploração e dependência à senhores e servos.

§ corvéia:
dias de trabalho semanal gratuito dos servos no manso senhorial à a produção era do senhor feudal.
§ talha:
divisão da produção servil no manso servil.
§ banalidades
: taxaspagas pelos servos pela utilização das instalações do feudo (celeiro, moinho, forno).
§ capitação:
imposto pago por cada servo individualmente.
§ tostão de Pedro:
imposto pago para manter a capela.
§ · mão-morta:
imposto pago sobre herança



RELAÇÕES FEUDO-VASSÁLICAS:
relações vassálicas.

relações de dependência pessoal e de obrigações recíprocas.

Ø suserania e vassalagem:
nobre e nobre.

§ suserano: doava a terra (beneficium) à proteção.
§ vassalo: recebe a terra à fidelidade, auxílio nas guerras, pagamento de resgate.
§ homenagem (cerimônia): juramento de fidelidade.
§ ajuda (auxilium) e consulta (consilium) mútuas.

A IGREJA:


§ Teocentrismo Cristão.
§ maior instituição medieval.
§ poder e riqueza.
§ organização hierárquica.
§ herança cultural greco-romana.
§ hegemonia ideológica.
§ cultura teocêntrica.
§ justificava a ordem feudal.

1. CRESCIMENTO DEMOGRÁFICO:
· Motivos: o fim das invasões e a diminuição das epidemias.
· produção limitada: tributação e técnicas rudimentares à não atendia ao consumo.
· marginalização social: expulsão do excedente populacional do feudo.
- ocupação das aldeias e cidades.
- saques.
- batalhas feudais: belicosidade.
- Paz de Deus: proteção aos lavradores, viajantes e mulheres.
- Trégua de Deus: limitava os dias de combate no ano e proibia os combates de sexta a segunda-feira e em dias de festa.
· aperfeiçoamento das técnicas agrícolas: arado de ferro, atrelamento peitoral , ferraduras, moinho hidráulico, charrua.
· expansão dos limites do espaço agrícola: pastos e bosques à expansão agrícola.
· expansão territorial: expansão germânica para o leste, Guerra de Reconquista e Cruzadas.

BAIXA IDADE MÉDIA

2. CARACTERÍSTICAS:
· transformações na sociedade feudal: início da crise do feudalismo.
+ início da superação das estruturas feudais.
+ progressiva estruturação de um novo modo de produção, o capitalismo.
+ surgimento de uma economia comercial: dinamismo comercial.
+ surgimento de um novo grupo social, a burguesia.
+ centralização do poder real.
+ declínio do modo de produção servil.
+ desenvolvimento do trabalho livre (relações assalariadas).
+ economia monetária.
+ estruturação das monarquias nacionais feudais.
+ produção de excedentes para serem comercializados.
+ iniciaram-se as mudanças na Europa Ocidental que, a seguir, desencadearam o processo de montagem do sistema capitalista.
+ a articulação entre as três ?esferas? de poder (universal, da Igreja; local, dos senhores feudais; e, nacional, dos reis) é um dos traços políticos distintivos da Baixa Idade Média. Em seu período final, esta articulação se dará em prejuízo dos poderes locais e do poder universal do papa e em benefício do poder do Estado-Nação (rei).


Veja mais em: História

Artigos Relacionados


- Evolução Da Estrutura Do Consumo Em Portugal E Na União Europeia
- Necessidades - Noção E Classificação
- O Investimento Em Portugal E O Investimento Português No Estrangeiro.
- Resumo Sobre Politica Monetária - Parte I
- Cultura, Subcultura E Contracultura
- O Feudalismo
- Feudalismo

 
Sobre o site: Quem Somos |  Contato |  Ajuda
Sites Parceiros: Curiosidades |  Livros Grátis |  Receitas |  Frases e Citações |  Ciências Biológicas |  Jogos Online