PUBLICIDADE

Página Principal : História


Pearl Harbor: o difícil despertar



Resumo de:Nightcrawler Introdução:
Tudo aconteceu rapidamente. Eram 07h55min da manhã de domingo, 7 de dezembro de 1941, o primeiro de duas levas de aviões japoneses começaram seu ataque mortal sobre a Frota Americana no Pacífico, ancorada em Pearl Harbor, na ilha de Oahu. Em duas horas, cinco navios de Guerra tinham sido afundados, outros 16 avariados e 188 aviões destruídos. Por sorte, três porta-aviões americanos, normalmente estacionados em Pearl Harbor mas que na hora estavam em outros locais, salvaram-se. Durante os ataques menos de 100 japoneses morreram, 2400 americanos perderam a vida e 1178 ficaram feridos. Embora rápido na execução, os ataques tinham sido lentamente tramados havia anos. Os Estados Unidos já tinham observado a ambição japonesa com certa aprovação e até mesmo indulgência. Atingido pela grande depressão no inicio dos anos 30, entretanto, a desilusão japonesa com os partidos de governo cresceram e os moderados deram lugar aos militantes. Em 1931 o Japão ocupou a Manchúria, no norte chinês. O conflito se intensificou nessa década e em julho de 1937 a Guerra foi declarada. Enquanto as agressões japonesas aumentaram, a relações com os EUA se deterioraram. A Manchúria ocupada foi explorada com o estabelecimento de industrias leves e pesadas. Isso foi uma necessidade para o Japão. Com a falta de recursos naturais próprios, a busca por suprimentos alternativos sustentou essa política militar e exterior através da década culminado com o ataque a Pearl Harbor e a guerra do pacífico. No topo das considerações econômicas, o sucesso militar inicial e o senso de superioridade racial levaram o Japão a acreditar que o país merecia dominar a política asiática. A exemplo dos nazistas alemães e fascistas italianos, essa combinação fomentou uma política neo-colonialista e agressiva, o chamado ?Circulo de co-prosperidade da Ásia oriental maior?. Maiores taxas de nascimentos e considerações econômicas exigiam mais terras; o conjunto genético assim o justificava. Relações com os EUA: A política crescia em necessidades enquanto as relações com os EUA afundavam mais e mais. Historicamente, os japoneses dependiam da América para obter muitos recursos naturais e industriais. Alarmados pela agressividade japonesa, de qualquer forma, os americanos já tinham assinado um acordo comercial que se iniciou em 1911 e terminava em janeiro de 1940. Em julho, seguiu-se um embargo sobre o combustível de aviação e sucatas de metal. As coisas pioraram em setembro quando o Japão assinou o Pacto Tripartite com a Itália e Alemanha, tornando-se um membro oficial da aliança do eixo, em luta na guerra européia. Esse fato causou grandes problemas. Embora oficialmente neutros, não havia duvidas sobre quem as simpatias americanas recaiam. O Presidente F.D. Roosevelt já havia pressionado os laços de neutralidade ao fornecer ajuda financeira e armamentos para a Inglaterra com base no acordo de ?transferência de produtos e serviços?. O pacto Tripartite significava que os suprimentos para o Japão estariam indiretamente ajudando Itália e Alemanha; mais embargos seguiram-se. Para o Japão, já envolvido em longa Guerra com a China, isso seria desastroso. Considerando sua sobrevivência ameaçada, os japoneses intensificaram a busca por alternativas permanentes. O objetivo mais obvio era o sudeste asiático, rico em óleo e minerais. O sucesso alemão em 1940 deixou órfãs as colônias francesas e alemãs da região e elas se tornaram o foco das atenções japonesas. Enquanto ocupava a Indochina francesa em julho de 1941, o Japão sabia que uma invasão em alta escala no sudeste asiático iniciaria uma guerra com a América. Precisava-se de um mecanismo capaz de prover espaço e tempo suficiente para conquistar, com sucesso, objetivos cruciais como as Filipinas, Burma e Malasia. O ataque a Pearl Harbor era esse mecanismo; o meio para se atingir o objetivo final. Ao destruir a Frota do Pacífico, os japoneses imaginavam tirar a América do equilíbrio do Pacífico por tempo suficiente a fim de assegurar os recursos que o país desesperadamente necessitava e ainda esmagar a moral Americana, forçando Roosevelt a suplicar pela paz.


Veja mais em: História

Artigos Relacionados


- 2ª Guerra Mundial
- Segunda Guerra: Reação à Depressão
- O CrisÂntemo E A Espada: Um Trabalho De Espionagem EtnogrÁfico?
- Brasil Na Segunda Guerra-3ª Parte
- O Primeiro Ataque Nuclear
- O Fim Do Domínio Do Clã Tokugawa
- Pacific Edge:contemporary Architecture On The Pacific Rim

 
Sobre o site: Quem Somos |  Contato |  Ajuda
Sites Parceiros: Curiosidades |  Livros Grátis |  Receitas |  Frases e Citações |  Ciências Biológicas |  Jogos Online