PUBLICIDADE

Página Principal : Política


1984



Este resumo é relacionado com as questões a seguir numa visão diferenciada do sistema politico adotado no romance 1984 .

QUAL A RELAÇÃO DO ESTADO COM O PRÓPRIO ESTADO ?
Para saber a relação do Estado com o próprio Estado, faz-se necessário entender o sistema político adotado pelo Estado na ficção de George Orwell. O sistema político totalitarista tem como base ideológica à expansão do poder do Estado a todos os níveis e aspectos da sociedade, normalmente pelo resultado da incorporação do Estado por um Partido centralizador. Partindo das idéias extremas do totalitarismo, podemos dizer que a relação do Estado com o próprio Estado está na possibilidade de que o próprio Estado tenha o seu poder estendido e perdurado de forma central e única, se utilizado de artifícios políticos e ditatórios para alcançar esse objetivo. Os artifícios usados pelo Estado para a conquista do poder são, além do totalitarismo, a censura, o controle de massas, a propaganda negra, a polícia política, a repressão, a prisão sem julgamento, a manipulação de informações, a manipulação da memória e da história, a divisão das classes e entre outros a submissão dos cidadãos às vontades do Partido. Sabendo a extensão do poder é o principal aspecto da relação do Estado consigo próprio, podemos concluir que ficção retratada pelo livro 1984 não está fora da realidade, pois, problemas políticos, sociais e econômicos são semelhantes com nossa realidade, como mostra alguns aspectos dessa realidade.

QUAL A RELAÇÃO DO ESTADO COM O CIDADÃO?
O Estado na pessoa do Grande Irmão (Big Brother) emprega um sistema político baseado na extensão do poder dele a qualquer nível e/ou aspectos da sociedade, sendo assim, totalitário. O regime utilizado por esse Estado tem o propósito de manobrar a grande massa da sociedade, obtendo um fenômeno que resulta de um exagerado, extremismo ideológico, desintegrando de vez com a sociedade civil organizada. Para compreender a relação do Estado com o cidadão ou a totalidade da massa manobrada, faz-se necessário observar as características marcantes deste regime que serão e servirão de auto-explicação para o assunto. O sistema político totalitário é um regime de partido único, centralizado nas mãos do Estado, com o culto à imagem do partido e do líder dele, com um patriotismo e um nacionalismo exacerbados, utilização dos meios de comunicação para as propagandas estatais e um hipnotismo e incentivo aos seus pontos de vista, censura no que tange a expressão, pensamento, questões sociais e culturais, cabresto na massa e burocratização dos processos e do aparelho estatal, para dificultar o seu entendimento. Assim, a evidência de que o Estado se vale do seu poder, para impor a todo cidadão da forma mais brusca, avassaladora, com requinte de crueldade, através da ploriferação do medo, com o emprego da coerção através da polícia, dizimando aqueles que lhes são contrários e representam um risco ao seu objetivo manipulador. Para esse Estado a obediência somente não é suficiente, tem que causar a dor, o medo, à submissão, causando na massa uma lealdade irrefutável ao seu lema, sem lugar para questionamentos e para aqueles que o questionassem, a fatalidade da vaporização chegando ao extremo de tirar-lhe qualquer histórico criando uma falsa sensação de que nunca existirá. A relação do Estado com o cidadão era de um lado o poder, com uma lavagem cerebral para todo cidadão, do outro, a submissão, seguido de uma crueldade exagerada e desumana.

QUAL A RELAÇÃO DO ESTADO COM OS DEMAIS ESTADOS?
Visto nas questões anteriores à forma e o regime que é inserido na "sociedade de massas" um controle total de tudo e de todos e "nada é de ninguém e tudo é de todos". Não existindo, mas nada privado nem mesmo, o pensamento, a mente e o corpo, tudo o Estado controla. Diante, deste quadro o Estado para não perder a hegemonia sobre seus "irmãos" se fecha para o mundo, no intuito de não deixar nenhuma nação soberana intervir e modificar suapolítica interna. Esta sociedade de regime totalitário, lida com os outros Estados da mesma forma que com os seus cidadãos, mascarando a imagem de que seu sistema é melhor do que qualquer outro. Eles travam uma guerra interna para que o próprio cidadão se convença que o mundo em que vive é o perfeito e aquele que esteja diferente disto não representa nada, pois ele nem sabe como funciona, devido a censura da propaganda. O bloqueio é total aos Estados estrangeiros e o Estado cultiva nos seus cidadãos um nacionalismo exacerbado desde a infância , evidenciando o patriotismo que o cidadão incorpora desde cedo criando uma repulsa aos estrangeiros.


Veja mais em: Política

Artigos Relacionados


- Benito Mussolini O Fascismo
- Culto à Vargas: A Propagando Política Durante O Estado Novo
- A Doutrina Fascista
- Economia De Mercado X Economia Planificada
- Evolução Administrativa _ Brasil Colônia
- A Rebelião Das Massas
- 1984

 
Sobre o site: Quem Somos |  Contato |  Ajuda
Sites Parceiros: Curiosidades |  Livros Grátis |  Receitas |  Frases e Citações |  Ciências Biológicas |  Jogos Online