PUBLICIDADE

Página Principal : Política


A lógica do plano habitacional



Há riscos no plano do governo Lula, sobre a construção de um milhão de casas. O problema é a definição de quem faturará politicamente com o plano. Prefeitos faturarão, já que são as prefeituras que farão o cadastramento dos candidatos. Governadores poderão faturar demonstrando em seus respectivos Estados, os esforços dispendidos. Mas nem todos os governadores entenderão essa lógica, mesmo porque, o governo federal ao lançar o nome fantasia - "minha casa, minha vida" -, começou a colher dividendos na frente. Isso é o que está levando o governador José Serra a criar dificuldades para aderir ao plano, alegando que o Estado já possui o CDHU. Com isso, poderá abrir mão de ofertar mais 180 mil moradias para os paulistas de baixa renda.

  O modelo é simples de se entender e complexo para se executar:

  1. A União garante os recursos.

  2. Há algumas condições de avaliação, como por exemplo, a exigência de se ter energia solar.

  3. O governo reduziu os custos de seguro e negociou com os cartórios, a redução das custas cartoriais.

  4. Finalmente, liberou financiamentos para obras de infra-estruturas dos conjuntos habitacionais e para empresas que desenvolvam tecnologia de casa pré-construída.



Veja mais em: Política

Artigos Relacionados


- José Sarney
- Brasil Na Segunda Guerra- 1ª Parte
- Jk - Juscelino Kubitscheck
- Lendas Urbanas Atuais 1
- A Colonização Brasileira
- ?como Se Governa O Brasil: O Debate Sobre As Instituições Políticas E Gestão De Governo?. Revista Da
- Os Pastores Do Voto

 
Sobre o site: Quem Somos |  Contato |  Ajuda
Sites Parceiros: Curiosidades |  Livros Grátis |  Receitas |  Frases e Citações |  Ciências Biológicas |  Jogos Online