PUBLICIDADE

Página Principal : Antropologia


ÍNDIOS MAXACALIS: UM ESTUDO DE CASO



ÍNDIOS MAXACALIS: UM ESTUDO DE CASO Nossa primeira população foram os indígenas, viviam em comunidades organizadas, com a preocupação do uso da terra para subsistência e moradia. Tinham cuidados com os recursos naturais, pensando em manter recursos para as gerações futuras. Daí veio a invasão branca e com ela os graves problemas sócio ambientais. Assim é importante conhecer as características de uma das tribos ainda subsistente no Brasil. Com uma população estimada em mil pessoas, os Maxakali encontram-se fixados numa reserva composta por duas aldeias ? Água Boa, no município de Santa Helena de Minas, e Pradinho, no município de Bertópolis ? na região do Vale do Mucuri, nordeste do estado de Minas Gerais. Localizada próximo à divisa com o estado da Bahia, a reserva tem uma área total de 5.305,67 hectares. Hoje vivem numa terra onde os recursos naturais foram destruídos: matas devastadas ? 80% delas ocupadas por pastagens, águas contaminadas e rios assoreados. Tendo assimilado alguns hábitos do homem branco, passou a consumir as cestas básicas dodas pela FUNAI, passaram a gerar um excedente de lixo que antes não havia, pois eram caçadores coletores e seu lixo era absorvido pelo meio ambiente. Atualmente enterram ou queimam o lixo indiscriminadamente. Vitimados pelo alcoolismo, sem trabalhar e produzir para o seu sustento, é grave a fome entre os índios e alarmante a desnutrição entre as crianças Maxacalis, registrando-se o índice de morte por essa causa no patamar de 25% das crianças nascidas em um ano. Há falta de assistência escolar. Até o momento o ano letivo não se iniciou e, sem aulas, elas ficam também sem merenda. Os Maxacalis são um dos poucos povos índigenas brasileiros que ainda preservam sua língua. Na tribo, a maioria de seus habitantes só fala a língua Maxacali. Houve uma denúncia a Alessandra Mello dos Direitos Humanos onde a Procuradoria da República acusa o governo federal de omissão no atendimento aos índios Maxacalis, que vivem no Nordeste de MG . Os problemas mais comuns, segundo o procurador, são a morte por desnutrição, que afeta adultos e, principalmente, crianças, e o alcoolismo, que atinge quase todos os membros da comunidade, inclusive com registro em crianças de apenas oito anos de idade. Os objetivos do trabalho foram: Estudar a condição de vivência do povo Maxacalis; analisar o impacto ambiental, causado pela destinação final dos resíduos domésticos urbanos da comunidade, diagnóstico ambiental na análise obtida. Como metodologia foi usado : Levantamento bibliográfico; Cruzamento de dados da SES, FUNED, FUNASA E FUNAI;Visita às aldeias Pradinho e Água Boa; Entrevista com Guigui o Cacique da aldeia Pradinho e com Zezinho um dos caciques da aldeia Água Boa; Entrevista com as pessoas responsáveis diretamente pela saúde dos índios: os médicos do PSF (Dr. Wilson e Dr. Ricardo) que atendem respectivamente as duas aldeias RESULTADOS: Segundo análise da água do rio feita pela Distrito Sanitário de Governador Valadares e pela FUNED, o índice de coliformes fecais estava muito acima dos considerados( surgindo casos graves de hepatite e esquistosseosmose) aceitos pela OMS, e, a UNESCO considera a região como a de menor índice de IDH do país, considerado como o da Somália


Veja mais em: Antropologia

Artigos Relacionados


- Aldeias Cariocas
- Indios Resistiram A Conquista Do Oeste
- Indio E Computador
- Indíos - Civilização E Sociedade
- Política Indigenista No Século Xix, 2
- Marco Aurélio Vota Para Anular Demarcação Das Terras
- Risco Ambiental E Agricultura De Regadio

 
Sobre o site: Quem Somos |  Contato |  Ajuda
Sites Parceiros: Curiosidades |  Livros Grátis |  Receitas |  Frases e Citações |  Ciências Biológicas |  Jogos Online