PUBLICIDADE

Página Principal : História


Cangaceiros: os bandidos sociais



Bandos armados conseguiram pela força o que não haviam conseguido como homens pacíficos.
Dezenas de Bandos de cangaceiros, a partir de 1880, assaltaram, mataram e extorquiram, causando terror às populações nordestinas durante meio século.
Um camponês, trabalhador de uma fazenda ou pequeno proprietário, reagia contra ofensas, desonras e injustiças cometidas contra si ou membros da sua família, geralmente, cometendo um assassinato. Para se vingar, matava o capataz, o fazendeiro ou o filho do fazendeiro.
Para escapar da justiça ou dos jagunços do Coronel, tornava-se um fugitivo. Se tivesse liderança acaba arregimentando pessoas como ele e formava um bando. Podia ainda se juntar a um bando já formado.
Os cangaceiros eram bandidos, fugitivos da lei. Mas eram de um tipo especial de bandido. Eram produzidos por uma situação de miséria e opressão, sofrida pela maior parte da população nordestina.
Assaltavam de preferência os ricos, de quem tinham algo para roubar. Eram os únicos que desafiavam os poderosos e as autoridades, chegando muitas vezes a humilha-los quando invadiam fazendas, vilas e cidades.
Vez por outra davam aos pobres uma parte do que tinham roubado dos ricos.
Assim, embora temidos por todos, despertavam a admiração do povo. Tinham a fama de justiceiros e respeitadores de mulheres e famílias honestas.
Os feitos dos cangaceiros eram vistos como desforra dos oprimidos.
As famílias pobres do campo muitas vezes cooperavam com os cangaceiros. Davam informações sobre a presença de destacamentos policiais que perseguiam cangaceiros, as denominadas volantes. Indicavam atalhos, forneciam comida, escondiam e tratavam de feridos.
O cangaceiro nasceu de uma situação social de opressão e despertou a admiração, o reconhecimento popular. Essas características fazem dele um bandido social.
Quando lampião e seus principais companheiros foram finalmente derrotados e mortos, em 1938 o cangaço já declinado. A morte de Lampião marcou o fim dessa forma de reação social no Brasil.
O poder dos Coronéis se mostrou mais forte que o cangaço, mais forte que o messianismo. Antonio Conselheiro, o Monge José Maria, Lampião e muitos outros passaram. Mas os coronéis ficaram.


Veja mais em: História

Artigos Relacionados


- Lampião, Cangaceiro Idolatrado...
- Cangaceiros
- Lampião, A Marca Que Vende O Nordeste
- Características Gerais Dos Povos Indígenas Brasileiros
- Delta07
- Esparta Um Estado Guerreiro
- A Baiana Chegou Da Bahia...

 
Sobre o site: Quem Somos |  Contato |  Ajuda
Sites Parceiros: Curiosidades |  Livros Grátis |  Receitas |  Frases e Citações |  Ciências Biológicas |  Jogos Online