PUBLICIDADE

Página Principal : Economia


a economia



A economia brasileira conduziu nos últimos dez anos mudanças estruturais e institucionais que tiveram um efeito amplo, afetando o funcionamento de toda a economia brasileira. As políticas de segurança alimentar do passado, baseadas na política de auto-suficiência, falharam no objetivo de trazer segurança alimentar a 35% da população brasileira, famílias que são classificadas como ?pobres do ponto de vista da nutrição?, por não terem uma renda suficiente para fazer face às suas necessidades nutricionais. O trabalho procura mostrar como as reformas estruturais e a liberalização mudaram a estratégia de ?seguridade alimentar? da busca de auto-suficiência para a de autoconfiança, ou seja, para uma estratégia que vise garantir o efetivo atendimento da parcela da população que sofre as conseqüências dos choques econômicos sobre a sua renda, a ponto de comprometer sua capacidade de suprir suas necessidades nutricionais mínimas. O trabalho mostra a importância da estabilização de preços e do salário mínimo para a melhoria nutricional da parcela mais pobre da população. Conclui que fragilidade financeira externa é a principal fonte de comprometimento da segurança alimentar.
Palavras-chave: Segurança alimentar; Ajustamento estrutural; Consumo de alimentos.


Veja mais em: Economia

Artigos Relacionados


- Mega Notícias ? Desertificação
- Cidadania Política E Equidade Social Em Portugal
- Sobre Tributação E Distribuição De Recursos: E Sclarecendo As Dificuldades Do Crescimento Econômico
- Mega Memória - Injustiça Social
- Gasto Público: Onde Está O Real Problema?
- Mega Memória ? Problemas Sócio-econômicos Do Brasil No Final Da Década
- Mega Memória - Saúde, Pobreza E Nutrição

 
Sobre o site: Quem Somos |  Contato |  Ajuda
Sites Parceiros: Curiosidades |  Livros Grátis |  Receitas |  Frases e Citações |  Ciências Biológicas |  Jogos Online