PUBLICIDADE

Página Principal : Economia


Valor de uso e valor de troca





A principal preocupação de Marx, segundo Araújo (1989) era o de desvendar as leis do movimento do capital na sociedade capitalista. Para isso procurou analisar a mercadoria, o capital e a força de trabalho.


Marx dizia que um bem possui dois tipos de valores: valor de uso e valor de troca.  O valor de uso é medido pelo trabalho concreto, ou seja, do trabalho que depende da habilidade humana. Já o valor de troca da mercadoria está relacionada a quantidade de tempo que o trabalhador gasta para produzí-la. Veja o exemplo seguinte: para se confeccinar casacos, alguns alfaiates levarão mais tempo que outros. Contudo, na confecção do mesmo, a sociedade estabelece um tempo necessário para que o mesmo seja produzido, por exemplo 1 hora, o que significa dizerque se alguns desses alfaiates não produzirem dentro desse período estabelecido, serão "engolidos" pela concorrência. Este tempo é determinado pela intensidade das forças produtivas existentes no momento.


Se um indivíduo é um alfaiate, sua profissão produz o valor de uso: ele sabe fazer roupas. E, roupas tem serventia (valor de uso). Mas, se ele demorar mais de uma hora para produzir um casaco, estará sendo pouco produtivo. Algum outro alfaiate, ao produzir mais em menos tempo, colocara mais peças no mercado e, por conseguinte, lucrará mais do que o primeiro.


Assim, para Marx, o trabalho é útil ou concreto quando é considerado em sua modalidade específicas. Ou seja, é o que cria um produto útil. Segundo ele, não é o consumidor que dá utilidade a uma mercadoria, mas o produtor. O consumidor apenas reconhece a mercadoria como útil ou não. Por exemplo, se o produtor coloca no mercado um novo produto, ele pode ter sucesso ou não, depende se o consumidor vai reconhecer aquele produto como útil para ele. O produtor dá utilidade a mercadoria através do uso da tecnologia, da mão de obra e das matérias primas usadas no processo produtivo.


Para Marx, o valor era portanto determinado no âmbito da produção e não da circulação, como afirmava os clássicos. Cada mercadoria possuia seu próprio valor de uso: o cafe alimenta, a roupa aquece, etc. Mas, todas elas foram produzidas pelo uso da força de trabalho. Então, o trabalho serve para igualar todas as mercadorias. A utilidade não pode ser quantificada, mas o tempo dispendido na fabricação do bem pode ser quantifificado.


Para os neoclássicos, o que dava valor a uma mercadoria era a sua utilidade, para Marx era o trabalho. Não se pode estabelecer preço através do equilíbrio entre oferta e procura. Na verdade, às vezes,  o preço pode muitas vezes estar acima ou abaixo do valor do bem se a oferta estiver menor do que a procura. Por exemplo, a escassez de alimentos faz com que os preços dos produtox se elevem acima do seu valor, ou seja, dos custos de produção porque a demanda por alimentos pode estar crescendo mais do que a produção dos mesmos.





Veja mais em: Economia

Artigos Relacionados


- O Que Há De Errado Na Economia
- Marx E O Trabalho
- Sociologia Do Trabalho: Exploração Ou Libertação
- Sobre A Renda Da Terra
- Sobre A Renda Da Terra - Parte Ii
- O Capital
- Conceitos De Trabalho

 
Sobre o site: Quem Somos |  Contato |  Ajuda
Sites Parceiros: Curiosidades |  Livros Grátis |  Receitas |  Frases e Citações |  Ciências Biológicas |  Jogos Online