PUBLICIDADE

Página Principal : Economia


Confissões, Broncas e Desabafos



ESPAÇO MONETÀRIO

Muito diferente do espaço calculado em metros quadrados; o espaço monetário não tem limites definidos, mas pode ser tão restrito que, mesmo num país de grande território, fará os pobres sentirem a sensação dos confinados... O espaço monetário aqui representado pelo salário deve ter uma dimensão que comporte tudo o que qualquer trabalhador precisa para viver com seus dependentes sem apertos. .

A célula do corpo precisa da passagem do sangue em quantidade e velocidade tal que permita a cada uma retirar dele todos os nutrientes que precisa e, simultaneamente, jogar na circulação de retorno a matéria gasta que o sistema de filtragem eliminará.

Assim também, cada pessoa é uma célula da corporação humana que, empregada ou desempregada, aposentado ou incapacitada, precisa de dinheiro passando por seu domínio, em quantidade e velocidade certa, que lhe de poder de compra capaz de pagar todo o que necessita para cumprir o propósito para o qual foi criada,

Os impostos embutidos nos preços dos bens de consumo e serviços mais outros impostos e taxas podem ser considerados aqui, como o residual que vai ser lançado nos cofres do fisco, para movimentar o país, com a ação dos mestres do ensino da segurança da administração e da justiça.

O salário insuficiente retrai a indústria, comércio e agricultura e leva fábricas á falência e até micro empresas. O resultado dessa desgraça é o crescimento do numero de desempregados que irão defender-se no campo de ninguém.

Nesse campo de ninguém cresce o comércio informal, o contrabando e pirataria enquanto cai a arrecadação de impostos e a eficácia do atendimento médico e hospitalar. A atividade informal - Trabalho não legalizado, é o campo de ninguém onde os desclassificados se encontram e entendem e só o governo se perde.,

O governo trava, nesse campo que não domina, uma interminável batalha de repressão, de alto custo, sem alcançar o objetivo pretendido. Seria melhor usar o plano dos excluídos que possibilita tomar e administrar ? o campo - sem ter que demitir os trabalhadores que preparam o bolo da marca ? Money - que enriquece os corruptos e alimenta as aves de rapina confinadas nas suas gaiolas. .

Um metalúrgico, um bancário ou seja lá que profissional for, não deve fazer serviços fora do horário de trabalho com o objetivo de aumentar o salário até ao mínimo indispensável, mas é obrigado a fazer, até o que não sabe, para não passar por humilhações.

O trabalhador tem que ganhar tanto quanto precisa e com sobra para fazer a manutenção da sua casa e seu carro sem ter que recorrer a horas extras que prejudicam a saúde e aumentam o desemprego.

Tudo depende de multiplicações, divisões, acréscimos e subtrações. Mas, pelos que vemos, podemos concluir que a aplicação certa desses fatores não está na competência de políticos nem adoradores de deuses Mas deve estar na competência dos matemáticos. Vamos recorrer a eles! Só mesmos os matemáticos imparciais podem entender o plano dos excluídos. O que se segue é parte do plano.

É preciso devolver aos humanos que vivem abaixo da linha da pobreza uma parte do excesso de dinheiro retido nas classes rica e média.

Essa congestão de dinheiro na classe rica é a causa da isquemia que enfraquece e mata por desnutrição muitos pobres. É uma situação perigosa porque gera ódio. .

. Enquanto existir a pobreza, e principalmente os desnutridos, sempre haverá espaço para a violência, nos lares de qualquer classe de países ricos e pobres.

Os pobres querem ser ricos e os que conseguem comportam-se como ricos e nem pensam mais em aliviar ou acabar com a pobreza por que, como os ricos atuais, sentem que, na realidade, é a pobreza é que faz o rico se sentir importante.

Portanto jamais a pobreza acabará por iniciativa dos ricos. Mas, como a decisão depende dos legisladores que já são um misto de ricos e pobres torno-se possível o acerto de contas.

Os legisladores podem isentar empregados e empregadores da obrigação de contribuir para a previdência social. e passar essa obrigação para todos os consumidores. A contribuição para o social deve ser uma percentagem acrescida ao valor das compras e serviços do consumidor final ( varejo ) para que todos contribuam durante a vida.

A cobrança via consumo visa atingir todos, - honestos e desonestos - porque todos são consumidores e por isso ninguém vai precisar de comprovantes de contribuição para exigir os seus direitos, .

Essa transferência de cobrança facilita a admissão de funcionários por empresas e particulares porque a garantia dos direitos será responsabilidade do seguro social que, com o novo sistema de cobrança jamais terá dificuldade de pagar o salário desemprego, sem interrupção, a todos os desempregados sem renda própria, mais 30% para cada dependente menor

Esse sistema de cobrança, é um acerto de contas; o único capaz de acabar com a pobreza e comércio ilegal. É a melhor forma de nivelar por baixo para que ninguém fique abaixo da linha da pobreza

É único jeito fácil de diminuir o congestionamento monetário das classes favorecidas para curar a isquemia monetária que enfraquece os pobres e mata muitos deles. O rico que não quiser pagar mais que viva como pobre porque a contribuição do pobre não vai ser dispensada mas sempre será pequena visto que não pode comprar muito e não compra supérfluos caros.

BLRocha.. 



Veja mais em: Economia

Artigos Relacionados


- Onde Esta O Dinheiro
- Incoerências Do Sistema Tributário Do Brasil
- Nem Todos Foram Convidados Para A Festa
- O Que Eles Pensam
- Dinheiro Traz Felicidade?
- Desemprego: Um Retrato Da Desigualdade
- Falando Sobre Políticas Sociais Aos Pobres

 
Sobre o site: Quem Somos |  Contato |  Ajuda
Sites Parceiros: Curiosidades |  Livros Grátis |  Receitas |  Frases e Citações |  Ciências Biológicas |  Jogos Online