PUBLICIDADE

Página Principal : Ciências Politicas


A segurança nacional isrelita



SEGURANÇA NACIONAL

A expressão ?segurança nacional? contém várias implicações utilizadas pelo Estado, a fim de assegurar a tranquilidade das suas fronteiras, a independência da sua economia e a segurança dos seus residentes (isto é, a sua segurança pessoal). Uma vez compreendida a frase básica, pode compreender-se quanto esta é importante num país como Israel ? ou, mais precisamente, no próprio Estado de Israel.

?A instituição segurança?, frase geral consignada pelo Estado de Israel pasra a sua organização nacional de segurança, contém um certo número de corpos: o militar ? IDF (Israel Defence Forces ? Forças de Defesa de Israel), responsável pela segurança das fronteiras do país, ?BaT?Sh? (actividade ?segurança sequencial?) e um sistema de segurança aérea de fronteiras (por intermédio de um ramo conhecido, evidentemente, como Força Aérea de Israel. A força militar é encabeçada pelo Estado-maior (o qual e, por seu lado, encabeçado pelo Chefe de Estado-maior), responsável directo perante o Ministro da Defesa e várias comissões do Knesset (parlamento) (quando chamado). O serviço de informações ? Mossad, responsável pela colheita e difusão de informações em todo o mundo, pela cooperação com os organismos paralelos de pesquisa de informações, pelo recrutamento de agentes estrangeiros, e mais. O Mossad é directamente responsável perante o Gabinete do Primeiro-ministro (e é frequentemente referido como ?Gabinete do Primeiro-ministro?). O organismo de segurança interna ? ShaBa?k (Serviço de Segurança Geral), responsável por assuntos de segurança interna tais como o crime organizado e movimentos subterrâneos.

Existem outros organismos para complemento do trabalho dos acima mencionados.  Por exemplo, o Conselho de Segurança Nacional, fundado por Benjamin Natanyahu quando Primeiro-ministro e chefe da facção Likud), é responsável pelos assuntos de política. O Coordenador de Actividades dos Territórios é outro organismo híbrido, formado para manter o controle e vigiar os acontecimentos nos ?Territórios Ocupados?*. Sob a autoridade do Coordenador de Actividades existe um órgão conhecido como Quartel-general de Coordenação e Ligação, órgão constituído por oficiais israelitas e representantes palestinos durante a fase de implementação de Oslo em 1993.supinha-se que servia como ponto de ligação entre os israelitas por um lado, e os palestinos por outro, mas quando irromperam violentos distúrbios (acontecimentos da Wall Tunnel em 1993), o sistema de ligação desintegrou-se e tornou-se, com o tempo, alvo de ataques dos que se opõem ao Processo de Paz.

O Estado de Israel enfrenta ameaças diárias, tanto externas como internas. É um dos poucos países do mundo forçado a sustentar uma tão complexa situação demográfica numa tão pequena parcela de território. A instituição de segurança tem de tratar dos atentados de terror, recolha de informações, e a protecção das fronteiras e espaço aéreo do país numa base diária, e dedica-se a estas actividades em Israel e no estrangeiro.

*Não é minha intenção exprimir posição ou crítica.


Veja mais em: Ciências Politicas

Artigos Relacionados


- Zonas De Tensão Externa Da Arábia Saudita
- Rabin - Um Assassínio Político
- Sistema Político Sul-coreano
- A Guerra Da Palestina Pela Independência
- VitÓria Eleitoral Do Hamas: Afundou Ap E Acirrou ódio
- Onu _ Carta De Princípios
- Desemprego Afecta Cada Vez Mais A Saúde

 
Sobre o site: Quem Somos |  Contato |  Ajuda
Sites Parceiros: Curiosidades |  Livros Grátis |  Receitas |  Frases e Citações |  Ciências Biológicas |  Jogos Online