PUBLICIDADE

Página Principal : Sociologia


O lado negro da força



O lado negro da força Existe em Portugal a ideia de que os "góticos" são todos seres soturnos, que gostam todos de cemitérios, que nenhum admite ir à praia, que são tristes e melancólicos. A tristeza e melancolia sim, face aos preconceitos e desconhecimento dos seus ideais e origens culturais. Há nas reuniões de gente vestida de negro uma alegria e romantismo que se reflecte metaforicamente através da lua. O seu ?satélite do amor?. No entanto, alguns, não sabem colocar limites às necessidades teatrais. Afinal, o que os distingue?

Imagine-se uma história que recorra à crueldade e perversidade como forma de glorificar a virtude - que no final sempre triunfa. Uma donzela virtuosa, um herói apaixonado e um vilão que não olha a meios para obter os seus fins. A isto acrescente-se as forças ocultas do sobrenatural e um ambiente tenebroso. ?Tempere-se? depois com os seguintes elementos: a existência de um antigo manuscrito; magia; fantasmas ou espectros; loucura e sonhos proféticos; um castelo antigo ou em ruínas; obras de arte, armaduras e espadas ferrugentas; crimes e imenso sangue; religião católica; Itália; e a Natureza como ?leit-motif?. Resultado: a essência do ? gótico?. Com estes ?condimentos? é fácil apontar o dedo. A defender a causa está a estilista e criadora da marca ?DarkVenus Fashion?, Vanessa Virgílio. ?Ser Gótico é ser livre de fazer o que se sente, amar, sonhar, criar? Simplesmente existe uma maior ligação à morbidez, ao melancolismo, aos elementos da natureza, às artes, à poesia, à música e ao vestir ?se de preto ou de outra cor forte, à maquilhagem carregada ou não. Ser Gótico é mostrar ao mundo, à sociedade, que existem pessoas com maior sensibilidade, que sendo assim, mostram-se de forma a chocar a normalidade?Apesar de tudo gosta-se de ser assim. Um Gótico quer ser visto naturalmente como pessoa normal sendo diferente, como se passa lá fora na maior parte dos países. Em Portugal, as pessoas Góticas são muito apontadas por se vestirem ou pensarem diferente da normalidade. Espero que estes preconceitos e ideias erradas em relação a este estado de estar na vida, acabem brevemente, já que no estrangeiro a educação e civismo das pessoas é extremamente superior.?
Para Sara Patrão, 28 anos, sócia e relações públicas do CultoClub, em Cacilhas, a origem dos preconceitos está no desconhecimento generalizado das origens e desenvolvimento ao longo da história do conceito de Gótico. ? A origem do termo Gótico, vem dos Godos, uma tribo germânica do século III / IV que tinha várias características filosóficas, artísticas e bélicas. Mas foi no século XIX, através da novela gótica, os autores chamados ?satânicos? ou laquistas, o Locus Horrendus, os românticos com toda a sua teatralidade estética (olheiras, vestimenta negra), o interesse pela anatomia (nomeadamente o esqueleto humano e todos os seus ossos), os cemitérios, os romances de cavalaria, o morrer por amor, as ruínas, as pinturas soturnas, o sangue e toda uma panóplia de interesses que mais tarde criaram os clichés.? Em Portugal, o movimento, apesar de já bastante difamado, ainda é recente. ?O Gótico surgiu nos meados dos anos 90, mas apenas em ambientes restritos. As pessoas encontravam-se em concertos, festas organizadas que envolviam sempre música e moda (o modo de vestir identificava as pessoas). Actualmente, o Gótico manifesta-se com maior força na faixa etária mais jovem, dos 15 aos 25 anos. Existem sítios onde ainda se pode ouvir música Gótica: Tocsin, Jukebox, Disorder, Festas Graveyard Sessions ? em Lisboa. Em Almada, o Lado Negro bar e o Culto bar. Em Setúbal: o La Bohême, e no Porto: o Heavens Gothic bar. Também existe lugar para a moda Gótica: vestuário e acessórios por medida com influências medievais, góticas, lolita, cyber, fetiche e punk. podem ser adquiridos na loja Darkfashion?, explica Vanessa Virgílio. Se o negro é a cor base na indumentária Gótica, também na música ela é predominante. Bandas como Siouxsie and the Banshees, theDamned, Bauhaus, the Cure, Joy Division, Sisters of Mercy, UK Decay, all About Eve, Fields of the Nephilim são no entender da estilista ?muito importantes na manifestação do Gótico?. Também a literatura ajudou a consolidar o movimento. Shakespeare é disso exemplo, ao utilizar, nas suas peças, uma parte dos elementos que se encontram na escola gótica, como é o caso do fantasma em ?Hamlet?, as bruxas em ?Macbeth? ou o carácter distorcido de ?Ricardo III? na peça com o mesmo nome.
Mas as aparências iludem e nem todos os Góticos são seres soturnos. Existem uns que gostam de praias, outros não (se calhar porque virão em algum Drácula ou leram num livro que não se podia apanhar Sol), o ser triste e melancólico, faz parte de estados de espírito e nem sempre nos sentimos alegres ou felizes, embora conheça uma pessoa ou outra que é o expoente máximo da alegria e da despreocupação! Mas se a maioria continuar a acreditar nisso e a mensagem passada for essa, a ideia tem tendência a aumentar?, confessa Sara Patrão. Como em todos os grupos sociais, alguns não sabem colocar limites às necessidades teatrais. ?Há sempre quem caía em exageros. Há quem se julgue vampiro. Há quem se entusiasme e ande a jogar à espada em pleno metro. De facto há pessoas que não sabem colocar limites, e talvez sejam estas situações a causa dos tais preconceitos que existem e que marcam pelo exagero o movimento Gótico?, diz Vanessa Virgílio.
A reforçar a ideia, Sara Patrão destaca a ?maturidade para criar e desenvolver projectos, parcerias. Saber se é aquilo mesmo que se quer fazer, sentir que é esse o caminho. Se cada um continuar a pensar que vestido vai usar na próxima festa, ou que CD vai comprar para ter mais que o amigo da tribo não vamos a lado algum?e o chocar por chocar também não vai ajudar. A estratégia é a união.? A verdade é que há nas reuniões de gente vestida de negro uma alegria e romantismo que se reflecte metaforicamente através da lua. Em jeito de desabafo, Sara Patrão afirma: ?A sociedade gosta de me ?apelidar? de Gótica. Eu prefiro apelidar-me de ultra-romantica, mas já me chamaram nomes mais feios! Um tipo vestido de preto é Gótico?um de branco é o quê??


Veja mais em: Sociologia

Artigos Relacionados


- O Renascimento E Maneirismo
- Arte Do Ocidente A I.media Românica E Gótica
- Arte E História
- Encontrando Você
- Obra Sobre Hist. E Arte C/o O Tp Das Catedrais
- Arte E Literatura Na Idade Média
- Arquitetura Dos Princípios Do Sec. Em Lisboa(1900-25)

 
Sobre o site: Quem Somos |  Contato |  Ajuda
Sites Parceiros: Curiosidades |  Livros Grátis |  Receitas |  Frases e Citações |  Ciências Biológicas |  Jogos Online