PUBLICIDADE

Página Principal : Sociologia


O poder simbólico



No segundo capítulo, a introdução a uma sociologia reflexiva, o autor demonstra alguns parâmetros fundamentais para a contribuição do pesquisador em relação ao objeto.
O pesquisador tem que aprender a relacionar com a pesquisa de modo racional para que não tenha decepções mais graves por isso que na construção do objeto se prioriza a eficácia de um método .
Numa afirmação do autor diz que ? só se pode realmente dirigir uma pesquisa com condição de a fazer verdadeiramente com aquele que tem a responsabilidade direta dela?(Bourdieu, p. 20). Nesta concepção aborda o sentido do habitus científico:

?é uma regra feita pelo homem, ou, melhor, um modus operandis científico que funciona em estado prático segundo as normas da ciência sem ter estas normas na sua origem: é esta espécie de sentido do jogo científico que faz no momento próprio, sem ter havido necessidade de tematizar o que havia que fazer, e menos ainda a regra que permite gerar a conduta adequada.(Bourdieu, p. 23)?

Neste contexto se deve abandonar as posições preeminentes na academia entre os professores e os investigadores para obter uma construção científica. Assim, a noção de campo se torna o modo conceitual da construção do objeto que vai comandar ou orientar todas opções práticas da pesquisa, ou seja, o modo de pensamento relacional seria um método para se entender o mundo social.O autor diz:
Ela funciona como um sinal que lembra o que há que fazer, a saber, verificar que o objeto em questão não está isolado de um conjunto de relações de que retira o essencial das suas proprieidades. Por meio dela, torna-se presente o primeiro preceito do método, que impõe que se lute por todos os meios contra a inclinação primária para pensar o mnudo social de maneira realista ou, para dizer como Cassirer, substancialista: é preciso pensar relacionalmente.
Quer dizer que não se pesquisa sem se fundamentar no espaço das relações, do convívio do objeto ao ser estudado, por isso que o autor ressalva que seria ?uma urgência tomar para objecto o trabalho social de construção do objecto pré-construído: é aí que está o verdadeiro ponto de ruptura?(p.29)
O mesmo autor menciona que busca-se um modo de fulga do modo de pensamento realista se referindo ao ?campo de poder? que é entendido portal as relações de forças entre as posições sociais que garantem aos seus ocupantes um qunatum suficiente de força soical de modo que estes tenham a possibildade de entrar nas lutas pelo monopólio do poder, entre as quasi possuem uma dimensão capital as que têm por finalidade a definição da forma legítima do poder..
O autor diz que ´há dificuldade na análise relacional propõe um recurso para a construção do objeto que é o ?quadro dos caracteres pertinentes de um conjunto de agentes de outras instituições?, ou seja, o recurso ao método comparativo permite pensar relacionalmente um caso particular do possível.


Veja mais em: Sociologia

Artigos Relacionados


- LiÇÕes Da Aula
- Introdução Ao Ensino Da Metodologia Da Ciência
- Competências E Habilidades: Elementos Para Uma Reflexão Pedagógica
- A Pesquisa Em História
- Corpo E Alma Notas Etnográficas De Um Aprendiz De Boxe
- A Reprodução
- A Noção De Illusio Na Obra De Pierre Bourdieu

 
Sobre o site: Quem Somos |  Contato |  Ajuda
Sites Parceiros: Curiosidades |  Livros Grátis |  Receitas |  Frases e Citações |  Ciências Biológicas |  Jogos Online