PUBLICIDADE

Página Principal : História


Centralismo democrático



A ideologia marxista- leninista não atribui ao sufrágio universal o valor que lhe é dado pelas democracias ocidentais. Para Lenine, o proletariado urbano (aliás pouco numeroso na Rússia de 1917) devia constituir a "força motora da revolução" e da "edificação do socialismo". Convencido de que a grande massa da população, rural e iletrada, não votaria nos bolcheviques (de facto, nas eleições de Dezembro de 1917 para a Assembleia Constituinte estes apenas tinham obtido 25 % dos votos). Lenine dissolveu a Assembleia Constituinte e definiu o Partido Comunista como a " vanguarda da classe operária que deve governar em nome do proletariado". Com Estaline e até ao fim da U.R.S.S., o Partido Comunista mantém o seu papel de total controlo das instituições e do regime. O Artigo 126º da Constituição de 1936, mantendo na definição do Partido a expressão "vanguarda da classe operária", definia-o ainda como "núcleo dirigente de todas as organizações da classe operária, quer governamentais, quer não governamentais". Brejnev, no XXIII Congresso do P. C. U. S. (1966), acentua: "uma das tarefas centrais do Partido consiste em fazer participar cada vez mais as massas trabalhadoras na gestão da produção" e "o nosso Partido Comunista, a partir de Lenine, é a força dirigente que conduz a sociedade soviética". Democrático na sua finalidade, o regime centraliza o poder nas mãos do Partido Comunista: daí a designação de centralismo democrático.


Veja mais em: História

Artigos Relacionados


- Revolução Cultural
- O Maoísmo
- Introdução à História Do Nosso Tempo ? Do Antigo Regime Aos Nossos Dias, P. 330 - 339 (revolução Sov
- Manifesto Do Partido Comunista
- União Soviética _ Transformações Políticas E Econômicas
- Lenine E A Rússia
- Formação Da Urss

 
Sobre o site: Quem Somos |  Contato |  Ajuda
Sites Parceiros: Curiosidades |  Livros Grátis |  Receitas |  Frases e Citações |  Ciências Biológicas |  Jogos Online