PUBLICIDADE

Página Principal : História


"Almirante Canaris" O príncipe da espionagem alemã



A atuação do Almirante Canaris, um verdadeiro gênio, talvez se constitua em exemplo de perfeição, enquadrando-se perfeitamente no pensamento do Coronel Walter Nicolai, chefe do serviço de informações alemão durante a primeira guerra mundial: ?O serviço de informações é o apanágio dos nobres; se confiado a outros, desmorona?.Canaris, ?o pequeno almirante?, era uma criatura que inspirava dúvidas, mestre do jogo duplo. Seria um espião a soldo de Churchill? Um conspirador antinazista? Um nazista camuflado? Desde a sua execução, a 9 de abril de 1945, pairava o mistério.Oriundo da Marinha, galgou vários postos na hierarquia da Marinha alemã, antes de substituir o Capitão-de-Mar-e-Guerra Patzig no comando da Abwehr (serviço de informações do exército alemão) em 1934, em plena época áurea do nazismo, iniciada em 1933, com o beneplácito do ministro do exército General Blomberg (leão de borracha) e logo após o expurgo dos ?camisas pardas?de Rohm em 1934, na famosa ? noite dos longos punhais? que foi executada pelo embrião da futura SS de Himmler e Heydrich a mando do próprio Hitler em troca do apoio de Blomberg quando da morte de Hinderburg. Em 05 Nov 1937, ocorre uma reunião que ficou conhecida como o ?testamento do führer?, foi relata pelo Cel Hossbach ao Alm Canaris. Hitler expôs para o alto-comando os seus objetivos como premier do III Reich, as teorias do ?espaço vital?, a anexação da Áustria ( Anschluss ) e dos Sudetos, o perigo comunista representado por Stálin, as relações com a Inglaterra e França e a necessidade de expansão da Alemanha para comportar os 80 milhões de germânicos. Em 1938, uma conspiração atroz realizada pelo próprio Hitler, Goering (Cmt Luftwaffe), Himmler (SS) e Heydrich (SS) faz com que os mais altos cargos do Exército alemão sejam retirados dos respectivos cargos, o Mal Blomberg contrai matrimônio com Eva (Luise) Gruhn que tinha sido meretriz no passado e logo após, a SS prepara um dossiê e entrega ao führer, provocando a queda do citado marechal. Na mesma época, a SS prepara um complô contra o Gen Fritsch, acusando-o de ser pederasta, com relações com um homossexual chamado Schmidt. Após o inquérito, o Mal é inocentado, na realidade a pessoa acusada era um Cap com o nome de Frisch, porém, a honra e o cargo do general estavam perdidos, e o complô conseguiu o objetivo de privar o exército de sua liderança maior e o próprio Hitler assumiu o cargo de comandante supremo, porém, a honra pública Fristch nunca foi recuperada, apenas uma carta do führer dizendo que acreditava na versão do Gen e Goering que era o maior interessado em assumir o comando geral, foi preterido pelo Hitler. Por volta de 1938, o pequeno almirante fica na dúvida entre o Estado (nazista) e a pátria (alemã), apesar de ser totalmente contrário ao nacional-socialismo implantando pelo III Reich, Canaris sabe se pedir demissão da Abwehr, abrirá caminho para Heydrich da SS e seus métodos criminosos.Também em 1939, a Alemanha assina com a Itália o pacto de aço, contudo, Mussolini possui pensamentos antialemães e acha que o seu país ainda não possui capacidade de entrar numa guerra ampla e irrestrita, Duce possui reações contraditórias.No mesmo ano, após a assinatura de um pacto de não-agressão com a Rússia, o führer ganha liberdade de ação perante o cenário mundial e resolve invadir a Polônia em 3 Set 1939, onde o emprego da guerra relâmpago (blitzkrieg) consagrou o exército alemão, derrotando os poloneses em 19 dias. A invasão pressionou a Inglaterra e a França a declarar guerra à Alemanha. Novamente a SS promove intensos extermínios entre judeus e a elite intelectual da Polônia, obedecendo orientações precisas do próprio Hitler. Grande parte dos generais germânicos reprova ações de Himmler e Heydrich, porém, ficam sem ação perante as barbáries cometidas. Ainda com relação a opinião do alto comando militar alemão sobre o nazismo, no pensamento dos generais qualquer ação desfavorável ao governo seria um ato de traição ao homem a quem prestaram juramento de fidelidade, sendo incompatível com a honra de soldado. Na busca da arma atômica, Canaris também foi decisivo na medida em que protelou o desenvolvimento da bomba e protegeu os cientistas alemães, evitando que a poderosa arma caísse nas mãos dos nazistas. Hitler sempre deu prioridade aos foguetes V1 e V2 em detrimento ao desenvolvimento nuclear e a prioridade dos físicos do Reich era a construção de uma usina de energia nuclear e não uma bomba.Desde a guerra civil espanhola, Canaris aproveitou a sua proximidade com o caudilho Franco para evitar que a Espanha entrasse na guerra a favor dos países do eixo, teve sucesso na medida em que o governo de Madri se manteve, durante todo o conflito, em uma posição de neutralidade. O ?pequeno almirante?também sempre foi contra a invasão da Rússia (operação Barbarrossa), sabendo que a abertura de uma segunda frente de combate levaria a Alemanha para a derrocada. Após o assassinato de Heydrich em Praga, no qual nunca se provou a participação de Canaris ou da Abwehr e a tentativa frustrada de matar Hitler em 1944, a Gestapo e a SS passaram a acompanhar cerradamente todos os passos dos dirigentes da inteligência militar alemã, culminando com a prisão de vários militares e o posterior eliminação de todos, às vésperas do final da guerra.


Veja mais em: História

Artigos Relacionados


- Hitler O Nazismo
- Barbarossa "a Invasão Da Rússia"
- 2ª Guerra Mundial
- Segunda Guerra Mundial
- Guernica: Quadro-denuncia
- Nazismo ? O Julgamento
- O Besouro De Hitler

 
Sobre o site: Quem Somos |  Contato |  Ajuda
Sites Parceiros: Curiosidades |  Livros Grátis |  Receitas |  Frases e Citações |  Ciências Biológicas |  Jogos Online