PUBLICIDADE

Página Principal : Sociologia


A América do Sul



A América do Sul

A maior bacia hidrográfica do mundo, a mais extensa planície, a cadeia de montanhas mais longa se encontram aqui na América do Sul. Mas também estão presentes uma extrema concentração de propriedade de terra, bairros de populações marginalizadas, favelas. Imagens de um continente que ainda não utiliza todas as potencialidades em benefício do bem estar da sua população. A Cordilheira dos Andes corre paralela á costa do Pacífico a uma extensão de 7500 km, quase 1/5 da circunferência do planeta, são freqüentes as montanhas com mais de 6 mil metros de altitude, dominadas pelos 7010 M do Aconcágua, seu ponto culminante. Entre o Peru e a Bolívia, a 3812 M, está o Logo Tititaca e La Paz na Bolívia fica a 3630 M do nível do mar. A ocupação humana a grandes altitudes alterou o organismo para melhor oxigenação. Os índios dos Andes têm pulmões maiores e mais glóbulos vermelhos que os homens comuns. A 900 km da Antártida encontra-se o Arquipélago do Fogo. O nome foi por causa das fogueiras indígenas. Na costa do Pacífico, na altura do Golfo de Guayaquil, estão as Galápagos, famosas pelas pesquisas de Darwin. Apesar da miscigenação, a harmonia racial não faz daqui um continente sem problemas. As deficiências características do 3° mundo se apresentam de forma dramática. A pobreza é generalizada. Nenhum dos 12 países da América do Sul atingem a renda per capita de países como Alemanha, Itália ou qualquer outro país industrializado da Europa. Um grupo de privilegiados detém a maior parte da riqueza enquanto a maioroa da população vivem em condições bem piores do que os números dados como oficiais dão a entender. ¾ das áreas cultiváveis ainda pertencem a poucas famílias de latifundiários, nu processo que foi iniciado no primeiro século da vida colonial, enquanto milhões de pequenos agricultores possuem pedaços de terra que mal permitem a sua sobrevivência. Existem recursos minerais riquíssimos, mas o pequeno desenvolvimento industrial,, o endividamento, a dependência inclusive política em relação as potência resultaram na concessão da maior parte das minas a companhias estrangeiras. Pobreza, desigualdade social, dependência econômico-política são causas de descontentamento, revolta, luta. A maioris dos países latinos sofrem uma instabilidade política crônica, expressa por uma sucessão de golpes de estado militares e revoluções. Miulhões de pessoas tem deixado os campos e se acotovelam nas capitais em busca de trabalho e melhores condições de vida. Buenos Aires, a capital da Argentina possui oficialmente 3,5 milhões de habitantes, mas sua área metropolitana conta com cerca de 13 milhões, mais de 1/3 da população total do país (33 milhões).



Veja mais em: Sociologia

Artigos Relacionados


- Venezuela
- Mega Memória ? Problemas Sócio-econômicos Do Brasil No Final Da Década
- América Latina ? Um Barril De Pólvora
- América Central ? População E Economia
- África, Um Continente Doente
- América Latina ? Guatemala
- Guerrilha - Ernesto Che Guevara

 
Sobre o site: Quem Somos |  Contato |  Ajuda
Sites Parceiros: Curiosidades |  Livros Grátis |  Receitas |  Frases e Citações |  Ciências Biológicas |  Jogos Online