PUBLICIDADE

Página Principal : Sociologia


Anos Rebeldes: Os Jovens Dizem Não



A década de 60 caracterizou-se pela dominância de um espírito de contestação político-cultural, principalmente entre os jovens. Inconformados com a família, o governo e as injustiças sociais, os jovens disseram não ao estabelecido e tentaram criar um estilo de vida alternativo. Diversos grupos, entre eles artistas, estudantes, hippies, negros, homossexuais, feministas e esquerdistas saíram às ruas em todo o mundo para reivindicar mudanças.

Nos Estados Unidos, por exemplo, o movimento negro, impulsionado por lideres como Martin Luther King _ assassinado em 1968; alcançou vitórias como o fim de leis racistas que negavam o direito de voto às minorias étnicas.

A Europa, o movimento estudantil manifestava sua rebeldia contra a opressão dos governantes, a miséria, a exploração do trabalho, a corrida nuclear das grandes potencias e outros. Já o movimento hippie, pregava um certo retorno à vida simples, despojada, natural e a construção de uma sociedade de paz e amor.

O Brasil foi invadido pelo mesmo espírito questionador. Em 1967, com o tropicalismo de Caetano Veloso e Gilberto Gil , os jovens brasileiros proclamaram que é proibido proibir. No mesmo ano, José Celso Martinez Correia _ teatrólogo; Chico Buarque de Holanda _ escritor e compositor; e Glauber Rocha _ líder do Cinema Novo; entre outros, reagiram ao movimento político nacional com uma arte politicamente engajada.

Em 1968, o movimento estudantil se espalhou por todo o país sofrendo pressão do governo.



Veja mais em: Sociologia

Artigos Relacionados


- 50º Congresso Une
- Renascimento Cultural
- A Revolução Francesa
- Revolução De 1848
- Resultado Das Capitanias Hereditárias: Brasil
- Lutas De Garibaldi
- Governo Provisório & Derrota Dos Socialistas

 
Sobre o site: Quem Somos |  Contato |  Ajuda
Sites Parceiros: Curiosidades |  Livros Grátis |  Receitas |  Frases e Citações |  Ciências Biológicas |  Jogos Online