PUBLICIDADE

Página Principal : Sociologia


Uma carta Étnico Racial



Meu caro amigo Charles Browun;

Por você está a muito tempo fora do Brasil, e também por saber do seu grande interesse pelas questões sociais e raciais que afetam diretamente ou indiretamente nosso povo brasileiro, vou contar-lher como ocorreram as três (3) aulas deste mês de março na disciplina, que para mim, foi muito especial , denominada: Educação, Desigualdades Sociais e Raciais.

Alguns conceitos fazem parte do nosso dia-a-dia e passamos a considerá-los como verdade. O discurso de que não existe racismo no Brasil é propagado, mas , a partir da leitura do texto. ?Educação anti-racista: caminhos abertos pela Lei Federal 10.639/03 onde foram apresentados alguns termos e conceitos presentes no debate sobre relações raciais no Brasil: uma breve discurssão?, o texto foi escrito pela própria professora Nilma , e faz parte do livro: As Políticas Públicas e a Desigualdade Racial do Brasil em 120 anos após a Abolição.

Ficou claro, o interesse de um grupo que não quer perder seus privilégios tendo interesse em manter tal situação. A ideologia incutida nas mentalidades de brancos e negros é que o probema da miséria não é vencido, devido à inferioridade, o que gera uma certa conformação.Muitos de nossos alunos , se sentem nesta situação, acham que não aprendem, que são ?Burros?, já se consideram menos capazes que os outros.

Mais da metade da população brasileira é negra , claro, considerando nesta classificação racial do IBGE , os pretos e pardos. Somos a segunda nação negra do mundo, só temos menos negros do que a Nigéria, país da África.

As diferenças existem entre todos os povos do mundo e são as mais diversas possíveis, mas, não podemos hierarquizar e falar que uns são melhores que os outros. Quando retiramos os aspectos culturais , históricos e econômicos e limitamos apenas a aspectos biológicos, retiramos toda a capacidade intelectual e humana do ser. O nosso probema , como você sabe, é que as nossas diferenças aqui no Brasil tem gerado ao longo do tempo, desigualdades econômicas e sociais.

Caro, Brawun, esse será o nosso grande desafio como professores, romper com esse imaginário tão negativo criado e alimentado por séculos de desigualdades sociais perpetuadas pela discriminação e preconceito racial.

Meu amigo Brawun, temos a nosso favor uma nova lei aprovada em 2003, que se colocada em prática, servirá para sanar tanto sofrimento resultante das desigualdes social e racial. A Lei 10.639/03 determina que seja incluída nos currúculos escolares, a História Africana.

É impensável que em um país como o nosso, com maioria da população descendente de africanos , não tenha História Africana nos seus curriculos escolares.

No entanto, meu caro amigo Charles Brawun , devido ao nosso país ter sido colonizado por portugueses provenientes da Península Ibérica e que teve seu desenvolvimento precoce nos séculos XV e XVI, só foi possível, pela influência árabe e africana naquele país.

Tenho que lembrar-lhe que Portugal foi ?ocupado? por Mouros por aproximadamente 700 anos, e que estes Mouros eram a fusão de Africanos Islamisados e Árabes. Temos que rever a origem dos conhecimentos técnicos e científicos que neste período eram mais avançados na África e no Mundo Árabe do que na Europa, para compreendermos a mecânica dos processos de desenvolvimento de Portugal com relação ao restante da Europa, neste contexto , a África foi essencial.

Negros e pardos têm 2% a menos de chance em relação aos brancos de não frequentar a escola e ter um bom rendimento escolar. Não há imagens nos livros didáticos de pessoas negras.

Charles , é claro que estes não são problemas enfrentados pelo país que o recebeu como imigrante, a Suécia. Mesmo assim, acredito na sua sensibilidade para com estas questões tão importantes no enfrentamento das desigualdades sociais e raciais que vive o nosso povo brasileiro.

Aproveito para perguntar-lhe: E aí Charles, quando você virá para o Brasil?

Com certeza , quando aqui chegar, encontrará um país com mais cidadania , fruto da nossa luta ao longo dos anos.

?Um forte Afroabraço!.?

Chicovsky



Veja mais em: Sociologia

Artigos Relacionados


- Preconceito Racial
- O Apartheid Na África Do Sul
- Contra O Mito Da Nação Bicolor
- Contra O Mito Da "nação Bicolor"
- O Mito Da Democracia Racial
- Será O Fim Do Preconceito Racial?
- AÇÕes Afirmativas E PolÍticas PÚblicas De InclusÃo Social

 
Sobre o site: Quem Somos |  Contato |  Ajuda
Sites Parceiros: Curiosidades |  Livros Grátis |  Receitas |  Frases e Citações |  Ciências Biológicas |  Jogos Online