PUBLICIDADE

Página Principal : Educação


Educação: a distância ou presencial



O artigo apresenta uma reflexão entre a educação a distância e a educação presencial no mundo globalizado, onde segundo o autor: ?as tecnologias estão á disposição de todos?. Afirma que até o processo educativo sofre influência da mesma. ?O processo educativo não ficaria atrás, utilizando-se das mais variadas mídias começa a desempenhar seu papel na transição da educação massiva para o processo da interação com esses valiosos recursos.? Cita Marco Silva em seu artigo ? tecnologia Educacional. Sala de Aula Interativa: A Educação Presencial e a Distância em Sintonia com a Era Digital e com a Cidadania?. Sobre o efeito da interação causar um multiplicidade de papéis, quanto aos elementos da comunicação ser emissor e receptor da informação.?A disposição interativa permite ao usuário serem ator e autor, fazendo da comunicação não apenas o trabalho da emissão, mas co-criação da própria mensagem e da comunicação... Em suma, a interatividade permite ultrapassar a condição de espectador passivo para a condição de sujeito operativo?.
Reforça a importância da educação presencial que sempre terá seu espaço no processo educativo. Critica o sistema tradicional, que não dispensa a presença do professor e alunos, desenvolvendo o processo educacional através da difusão destes conhecimentos, muitas vezes sem se preocupar se está surtindo efeito, que em sua maioria não gera interação entre professor e aluno, em outros casos ocorre na educação presencial, á moderação com participação na retirada de dúvidas. Muito pouco quando se compara com a interação gerada pela educação à distância.
A Educação diante dos novos paradigmas se torna renovada e transforma o modelo de recepção clássica com sua forma de difusão. Não há improvisos, infelizmente comum numa relação presencial ? aluno/professor. Na EAD os educadores estão descobrindo que a verdadeira educação deve ter a participação ativa do aluno. Respondendo ao processo por inteiro. Daí a necessidade, não de suplantar a educação presencial, mais sim trazer alguns frutos para mesma, aperfeiçoá-la, torná-la um instrumento mais efetivo no processo de transformação social através da mesma. Um Bom material, uma boa mídia não é tudo, é preciso responsabilidade e profissionais altamente competentes, para garantir o alcance dos resultados educacionais e atingir o processo de democratização do ensino superior. Na sala de aula presencial as atividades individuais e solitárias predominam contribuindo assim para a baixa participação oral dos alunos.
A interatividade como elemento comunicativo entrou de uma vez na sociedade moderna e a educação não ficou a parte aderiu aos sistemas dialógicos da emissão e recepção de dados amplia a capacidade de co-criar, manipular, modificar tudo dentro do processo. Interagir plenamente como senhor autônomo que define seus momentos de aprendizagem.
Na Educação presencial o professor simplesmente transmite o conhecimento de forma seca, ele não modela os domínios do conhecimento, é o professor ditador, moralista nato, o Senhor da Sala de Aula, o todo poderoso, pois a participação do aluno se limita ao que ele arquitetou previamente. Onde está o princípio de educar para cidadania? O Mundo mudou, a educação mudou, nossos alunos não podem mais viver de a olhar, ouvir, copiar e prestar contas numa avaliação. Precisa ter o senso de sociedade, de reflexão e criticidade. A Escola Presencial tem mais Prática de Ensino do que o verdadeiro Ato de Educar, pois é postado como a autoridade, superior inquestionável, que sabe tudo e ensina a verdadeiros incautos e ignorantes. Não há interação só passividade doentia, o educando é como uma bateria só acumula como um depósito para arquivar conhecimentos. A bateria pelo menos descarrega sua energia dependendo do uso, o educando não.
O autor afirma que devemos acabar com esse perfil de educador. Afirmando:
?Enquanto perfis de educadores como o citado existirem, a educação presencial só tem a perder. A modernização é inevitável para tudo e todos, devemos nos adaptar a elas. A tecnologia digital tempera a educação moderna, prepara as novas gerações para o mercado de trabalho, implementa o ensino a distância como um elemento essencial a educação presencial, semi-presencial e a capacitação de professores. Saber utilizar as novas mídias, está antenado com as novas tecnologias, não é tudo, é mais um requisito básico do novo docente, que diante de um sistema pedagógico funcional terá um processo ensino-aprendizagem também funcional.

Cabem as escolas e universidades inserirem os seus professores nesse novo mercado, que não em fruto de política pública, incorporando o conhecimento tecnológico digital, estimulando a pesquisa como base de construção do mesmo conhecimento, desenvolver a capacidade de criar hipóteses e soluções de problemas, desenvolverem habilidades do trabalho em grupo, é a Sociedade do Conhecimento criando o novo perfil para o educador comprometido, competente, crítico, aberto as mudanças, exigente, mais além de tudo Interativo. Diante de uma reciclagem constante via web, o professor pode reformular e ampliar sempre seus conhecimentos
?.
http://www.algosobre.com.br/cultura/ educacao-distancia-ou-presencial.html


Veja mais em: Educação

Artigos Relacionados


- Tutoria Como EspaÇo De InteraÇÃo
- A Educação E A Tecnologia Da Informação
- Avaliação Mediadora: Uma Relação Dialógica Na Construção Do Conhecimento
- Educação Escolar, Pedagogia E Didática. In: Didática
- O Papel Dos Educadores
- Leitura: Paradigmas De Uma Boa Alfabetização
- Ensinamos Demais, Aprendemos De Menos.

 
Sobre o site: Quem Somos |  Contato |  Ajuda
Sites Parceiros: Curiosidades |  Livros Grátis |  Receitas |  Frases e Citações |  Ciências Biológicas |  Jogos Online