PUBLICIDADE

Página Principal : Educação


Educação Física - RCN



A emoção é o canal mais importante que o bebê usa como interação com o ambiente, sendo o toque, a afetividade, a imitação de movimentos e de expressões a melhor maneira de aprendizado. A criança se desenvolve passo a passo, desde o engatinhar até se sustentar para início da locomoção ereta, e suas ações exploratórias o permitem descobrir até onde ele pode chegar com o seu corpo.
Crianças de um a três anos estão nesta fase, e esta independência os fazem desenvolver gradualmente a preensão e a locomoção, pois nesta fase ele vê um objeto e vai até ele (locomoção) e tenta pegá-lo (preensão). Nesta idade, ela também aumenta seus atos e gestos simbólicos como dar tchau, apontar etc., e também em relação ao imitar adultos e outras crianças.
Já crianças de quatro a seis anos, a coordenação motora está um pouco mais desenvolvida, (ela pode recortar, colar) e seu lado lúdico junta-se a sua motricidade (ela transforma a tesoura numa espada por exemplo), e consegue já prever movimentos e ações. A partir de jogos e brincadeiras, as crianças podem conseguir desenvolver seqüências motoras mais complexas, daí o porque das brincadeiras serem importantíssimas nesta idade, pois elas conseguem interagir com o mundo e desenvolver habilidades (empinar pipa, jogar bolinhas de gude, etc.).

Objetivos:

- Para as crianças de um à três anos o intuito é fazer com que ela familiarize-se com seu próprio corpo, explorando, na interação os gestos e ritmos corporais nas brincadeiras como pular, correr, (motricidade) e movimentos de preensão, encaixe etc.
- Crianças de quatro à seis anos devem ter com objetivo aumentar as possibilidades do próprio movimento, explorar força, velocidade, resistência e flexibilidade, trabalhando o seu limite corporal e interação social com brincadeiras, danças e jogos.

Conteúdos:

Os conteúdos devem priorizar as capacidades expressivas e instrumentais do movimento, devendo ser organizados num processo que envolva múltiplas experiências corporais, possíveis de serem realizadas sozinho e em situações de interação. Este conteúdo será organizado em dois blocos, sendo o primeiro relativo às possibilidades do movimento e o segundo ao seu caráter instrumental. A dimensão subjetiva do movimento deve ser aquelas do dia a dia , usando gestos, ritmos para se expressar. Já a dimensão expressiva engloba a expressão e a e comunicação de idéias, relacionadas com a cultura.

Orientações didáticas

Crianças de zero a três anos

Atividades como o banho são oportunidades de se explorar o próprio corpo, pois brincadeiras que envolvam o corpo canto e movimento possibilitam a percepção rítmica e a identificação de segmentos do corpo. Por isso, é importante um espelho é muito importante em uma creche, para que as crianças se vejam e brinquem de mímicas, e poderem ter a visão do corpo inteiro.
O professor deve ter cuidado com a sua postura e expressões, pois tudo o que fizer será copiado pelas crianças desta fase.

Crianças de quatro a seis anos

O espelho ainda é instrumento importante para as crianças desta fase, pois ainda estão formando sua consciência corporal. Brincadeiras com fantasias são e maquiagens trabalham o faz de conta.
O reconhecimento dos sinais vitais e de suas alterações (respiração, batimento cardíaco), refletir e conversar sobre o que acontece quando rolam, correm etc. Representações lúdicas também são divertidas e interessantes para a criança (derreter como um sorvete, flutuar como um algodão etc) para reiterar o movimento para expressar idéias e emoções.

Deve-se assegurar para a criança jogos motores e brincadeiras que contemplem a coordenação e equilíbrio, e também a oportunidade de aprendizagens sociais como jogos onde as crianças sabem respeitar as regras por exemplo.

Crianças de zero a três anos


O professor deve organizar o ambiente com matérias que façam com que a criança explore o movimento., bolas para chutar e quicar, móbiles para que exercitam a posição ereta, etc. Existe também a possibilidade de trabalhar com rampas, labirintos, tudo que parecer um desafio a criança. A estátua por exemplo pode ser usada como meio de manutenção do tônus muscular.

Crianças de quatro a seis anos

Trabalhar com corda propõe uma situação corporal intensa (movimento, percepção espaço-temporal, ritmo das batidas no chão). Começar desde deste momento a quebra de esteriotipos, fazendo com que as crianças tenham vivencias com todas as brincadeiras.


Veja mais em: Educação

Artigos Relacionados


- Brincadeiras Não Têm Sexo
- Relações Entre Consciência Corporal E Desenvolvimento Infantil
- Henri Wallon O Educador Integral
- Estatuto Da Criança & Do Adolescente
- Desenvolvimento Motor Em Contexto: Um Desafio De Pesquisa Para Profissionais De Educação Física
- Uma Didática Para Crianças Com Necessidades Especiais
- Educação E A Sindrome De Down

 
Sobre o site: Quem Somos |  Contato |  Ajuda
Sites Parceiros: Curiosidades |  Livros Grátis |  Receitas |  Frases e Citações |  Ciências Biológicas |  Jogos Online