PUBLICIDADE

Página Principal : Educação


Breve SÍNTESE DA POLÍTICA EDUCACIONAL A PARTIR DOS ANOS 90



A movimentação política e econômica que emergiu a partir dos anos 90 teve ressonâncias significativas na formulação de propostas para as práticas educativas. A abertura econômica e o processo de globalização seguido pelo fortalecimento do neoliberalismo contribuíram para pensar na educação como determinante chave para a contemporaneidade. Inspirado na ?Teoria do Capital Humano?- em alta nos anos 70 ? ?disseminou-se a idéia de que para ?sobreviver? à concorrência do mercado, para conseguir ou manter um emprego, para ser cidadão do século XXI, seria preciso dominar os códigos da modernidade? (SHIROMA; MORAES; EVANGELISTA, 2007, p. 47).

Os autores lembram que em 1990, realizou-se em Jontien, na Tailândia, a Conferência Mundial de Educação para Todos, financiada por órgãos de renome mundial como a UNESCO, a UNICEF, o PNUD e o Banco Mundial. A idéia era a de assegurar uma educação básica de qualidade para todos, reduzindo com isso, o espantoso quadro de analfabetismo detectado - de mais de 900 milhões de pessoas adultas analfabetas no mundo.

Mas, o mérito de colocar a educação no centro das atenções mundiais não foi o bastante. É preciso ainda pensar as suas especificidades quando se cunha a idéia de propor uma ?educação para todos?. Pois, ?sendo distintos os grupos humanos, suas necessidades básicas também o seriam ? inclusive as necessidades básicas de aprendizagem, o que significa obter meios apropriados para satisfazê-las, que deveriam variar segundo o país, a cultura, setores e grupos sociais <...>? (SHIROMA; MORAES; EVANGELISTA, 2007, p. 49). Assim, os autores lembram que ?sendo as necessidades diferentes, também deveriam ser diferentes os conteúdos em seus meios e modalidades?.

Os autores lembram ainda as recomendações da CEPAL para uma educação de qualidade em um documento publicado em 1992. O eixo norteador da proposta é a idéia de ?equidade social?, tendo como objetivos principais a cidadania e competitividade. Esse documento da CEPAL foi reiterado ao longo da década por outros organismos multilaterais.

A UNESCO, com sua atuação marcante e decisiva no campo educacional, delineou na década de 90, a educação para o século XXI.  Para isso, foram convocados especialistas de todo o mundo para compor a Comissão Internacional sobre Educação para o século XXI.

O documento elaborado pela UNESCO faz um diagnóstico do contexto e da situação da Educação na relação com o processo de ?planetarização? do mundo, da globalização e de novas exigências de um mundo cada vez mais complexo. O documento identifica a necessidade de uma educação capaz de formar pessoas aptas a se tornarem ?cidadãos do mundo? numa relação estreita com a comunidade local e com a cultura global.

Portanto, deve-se repensar os atuais processos da educação e propor um novo conceito de educação: ?educação ao longo de toda a vida?. Esse novo conceito de educação será feito a partir de quatro pontos principais: aprender a conhecer, aprender a fazer, aprender a ser e aprender a viver junto.  

REFERÊNCIA

 SHROMA, Eneida Oto; MORAES, Marília Célia Marcondes de; EVANGELISTA, Olinda. Política Educacional. Rio de Janeiro, RJ: Lamparina, 2007.




Veja mais em: Educação

Artigos Relacionados


- Educação: Novas Atribuições
- Educação Inclusiva No Brasil
- A História Da Educação No Brasil: Os Anos De 1980 E 1990
- Aspectos Relevantes Da Pedagogia Deweyana
- Educação Escolar, Pedagogia E Didática. In: Didática
- A Busca Do Sentido Na Formação Humana: Tarefa Da Filosofia Da Educação
- Educação Especial

 
Sobre o site: Quem Somos |  Contato |  Ajuda
Sites Parceiros: Curiosidades |  Livros Grátis |  Receitas |  Frases e Citações |  Ciências Biológicas |  Jogos Online