PUBLICIDADE

Página Principal : Artes


As 7 Maravilhas da Era Medieval. Hagia Sophia



A cidade de Constantinopla (atual Istambul na Turquia) é a única do planeta a fazer parte de dois continentes, Europeu e Asiático, mas também fez parte do império romano. A cidade de Bizâncio foi rebatizada como Constantinopla (Constantinópolis), em 360 d.C. pelo imperador Constantino o Grande. Protagonizou uma das maiores edificações em todos os tempos e o maior edfício cristão em sua época, a igreja de Hagia Sophia, ou "Hagia Sofisma" , "Sabedoria de Cristo" . A igreja erigida por Constantino foi destruída por um terrível incêndio e reerguida em 415 por Theodozius II. Foi Justiniano o Grande quem ordenou a construção de uma nova igreja no mesmo local em 532 à partir das mesmas fundações, algo que terminaria em Dezembro de 537, arquitetada pelos talentosos Isidoro de Miletos e Anthemios de Tralles. Em 558 ela sofreu um terrível terremoto e foi restaurada pelo jovem e talentoso arquiteto Isidoro, o Jovem. Os efeitos acústicos produzidos pelo seu interior que conserva uma imensa cúpula central e duas semi-cúpulas laterais são impressionantes e em sintonia com a suntuosa liturgia grego-ortodoxa. Sua formação inspirou os arquitetos da basílica de São Marcos em Veneza, São Vital em Ravena, Aquisgrano na Alemanha e a basílica de Aparecida no Brasil. Tinha em suas paredes internas, numerosas esculturas entalhadas de capitéis rendilhados e valiosos mármores policromos. O imperador Justiniano ao ver o templo já erigido disse: "A Glória de Deus me tem permitido conseguir este trabalho" e quando finalizado pronunciou: "Salomão, eu hei de ultrapassá-lo" . Ela mede 77 x 79 m (teve acréscimo posterior em mais de vinte metros ficando em 77 x 100) e possui uma cúpula impressionante com 55,2 m de altura desde o seu piso, com diâmetro de 33 m. A largura total é superior a 38 m, mais do que o dobro da largura de suas alas que medem 18,3 m. Os planos verticais formam dois pares ao norte e ao sul, com arcada pelas alas e galerias, tampadas por uma estrutura alinhada com as laterais em frente à sua fachada. As estruturas são ocultas aos olhos dando a impressão de que o espaço interno se expande em todas as direções e que o domo está suspenso no ar. O pórtico, ou nártex interior é de um formato retangular e o formato superior da igreja é como o de imensos corpos circundantes agrupados. O corpo principal conta com naves circundantes com pouco mais de 15 m de largura com abóbadas e galerias. Colunatas separam estas naves laterais da área central existindo em cada coluna um revestimento em mármore. As naves exteriores reduzem a área litúrgica para 76 x 33 metros e cada cúpula possui 33 m de diâmetro. O espaço interno se estende para o oriente e ocidente por grandes semi-cúpulas que abrem para espaços semi-circulares denominados "exedras". A grande cúpula está suportada por quatro maciços medindo aproximadamente 100 m quadrados, com quatro arcos e quatro pendentes. Os vértices dos arcos e os pendentes suportam a base circular a partir das quais se elevam as principais estruturas da cúpula, atravessada por quarenta arcos simples e terminam na janela abobadada. Entre as nervuras que se transmitem para a cúpula, se abrem quarenta janelas por onde os raios de luz penetram e iluminam todo o interior decompondo as massas e criando a sensação de um espaço infinito. Doze grandes janelas ainda fazem penetrar os lances de luz ao norte e ao sul, sendo sete na camada inferior e cinco na superior. Ao centro da fonte de purificação, havia uma inscrição onde se poderia ler da direita para a esquerda e vice-versa a seguinte frase: " lavar nossos pecados, até nossa face" . O círculo de luz difusa revertebera os mosaicos azuis e dourados, algo que fez com que Procópius afirmasse que a cúpula estivesse suspensa no céu por uma corrente. O objetivo principal dos arquitetos iniciais, não era só o de construir um interior impressionante, mas também funcional fazendo com que os espaços como a arena, naves laterais, exedras, conchas, abóbadas e cúpulas abrissem para fora e para cima, algo que permite perspectivas e relances que se alternam com a luminosidade que penetra, criando um ar de mistério e como se houvessem coisas ocultas aos nossos olhos em suas camadas internas. Porém o que verdadeiramente se pode contemplar é a revelação de tudo. Procópius descreve as contradições: "Luz e penumbra; espaço e massa; mistério e claridade. As abóbadas aparentemente estão pairadas no ar, suas colunas parecem executar uma dança e a cúpula parece suspensa no céu. Os mosaicos, o briho difuso do mármore cinzento nas paredes, os fustes de mármore esverdeado, azul e amarelo, os relevos riçados dos capitéis, a madrepérola e as luzes douradas suspensas" . O portão imperial nos conduz à nave central de Hagia Sophia, o magnífico efeito criado pela enorme cúpula, pelas colunas e arcos de mármore é irresistível. As reparações realizadas por Isidoro já não o fazem ter o mesmo aspecto circular de seu início, mas o teto é completamente coberto de mosaicos. Parte do peso da cúpula é transmitido para semi-cúpulas, na ala norte e ala sul, e para as seções inferiores. O interior contém 107 colunas, 40 das quais encontram-se no piso térreo, e as restantes acima, na galeria. Também durante os trabalhos de Isidoro, foram construídos contrafortes exteriores reforçando quase todas as paredes, para minimizar os estragos causados por diversos tremores.


Veja mais em: Artes

Artigos Relacionados


- Arte Romana I
- Arte Gótica
- Império Bizantino
- SalÃo Dos Passos Perdidos
- Constantino, O "grande"
- Michelangelo E Sua Obra
- As 7 Maravilhas Da Antiguidade; Farol De Alexandria

 
Sobre o site: Quem Somos |  Contato |  Ajuda
Sites Parceiros: Curiosidades |  Livros Grátis |  Receitas |  Frases e Citações |  Ciências Biológicas |  Jogos Online