PUBLICIDADE

Página Principal : Artes


Arte Moderna/Fauvismo/Matisse




Arte Moderna

A arte moderna se refere a uma arte, um momento onde a representação de algo não deveria mais ser obrigatoriamente literal, os artistas passaram a experimentar novas visões, através de idéias inéditas sobre a natureza, materiais e funções da arte, durante suas primeiras décadas foi um movimento exclusivamente europeu. O pensamento e a tradição européia estavam se esgotando, os novos artistas e pensadores estavam surgindo para mudar radicalmente o que seus mestres do passado tinham executado e idealizado.
O modernismo usou a arte para chamar atenção para a arte.
1.
Por terem sido destituídas das tarefas que podiam desempenhar, as artes davam a impressão de que seriam assimiladas pelo entretenimento.
Existia a busca pela pureza como garantia de seus padrões de qualidade e de independência, a autocrítica buscava a autodefinição, existia também uma ênfase na planaridade da superfície.

Fauvismo

Os Fauves (feras em francês) era um grupo de artistas de vanguarda cujos trabalhos valorizavam as qualidades pictóricas e o uso da cor profunda .
Os Fauvistas simplificaram as linhas, exprimiram-se com assuntos de fácil leitura, perspectivas exageradas, uso de cores muito vivas e arbitrárias, pouco naturais, formas simples e planos lisos. Insistiram também na frescura do acabamento espontâneo. Como movimento, não teve nenhuma teoria concreta, e foi de vida curta. Apenas se registraram três exposições. Matisse foi visto como um líder do movimento. Disse que quis criar arte para e por prazer. Arte como decoração. O uso de cores vivas tenta manter a serenidade da composição.
O Fauvismo é uma corrente artística se iniciou no início do século XX, seu nome significa as bestas selvagens, ou feras. Este nome foi dado pelo crítico Louis Vauxcelles no Salão de Outono de 1905 em Paris, onde as obras estavam expostas ao lado de uma estatueta renascentista.
A pintura fauvista é caracterizada pela busca da máxima expressão pictórica, e para tal, o estilo tipicamente francês usou da simplificação das formas, redução de graduação das cores, e estudou profundamente o uso das cores.
Este estilo de pintura não tinha a intenção de ser crítico, as cores não deviam estar de acordo com o objeto representado, seus temas retratavam emoções, por isso não tinha obrigação com o real.
Com cores intensas, explosivas, fortes, formas e perspectivas distorcidas, pinceladas vigorosas e telas nuas, os artistas fauvistas
implementaram uma nova forma de expressar suas emoções diante das cenas que representavam.
2.
A arte fauvista defendia que seus artistas criassem a partir de seus impulsos instintivos e sensações primárias, creio que por isso a denominação de fera. As linhas e as cores deveriam traduzir sensações elementares, surgir do impulso. Deveria se pintar como crianças ou selvagens. Os próprios críticos contrários ao grupo usam o termo bárbaro, primitivo, e associavam as imagens fauvistas ao desenho de crianças.
Ao observar essas pinturas, o espectador irá se deparar com uma pincelada espontânea e violenta de certa forma, o colorido é brutal, a sensação física da cor é uma sensação subjetiva, há uma utilização da cor pura, e a pintura por manchas largas formam grandes planos. A pintura desse período era considera uma realidade própria e não uma representação da realidade, é uma expressão da condição natural do homem.
Os fauvistas queriam abandonar a pintura intelectualizada, e alguns dos meios usados eram os usos de cores de modo selvagem e contornos negros. Dentro da corrente fauvista, destaca-se Henri Matisse.

Matisse

Henri Émile Benoit Matisse nasceu em Lê cateau na França, em 31 de dezembro de 1869. Entre 1900 e 1905 participou do Salão dos Independentes e do Salão de Outono. Dos pintores que exploraram o uso da cor forte, foi o único que evoluiu para o equilíbrio entre cor e traço em composições planas, procurou uma composição livre, sem outra ligação que não o senso de harmonia plástica. Sua cor não se dissolvia em matizes, mas era delimitada pelo traço.
Matisse, como outros artistas do movimento, rejeitava a luminosidade impressionista, e usava a cor como fator principal da pintura, levando-a as últimas conseqüências. Argan dizia que a arte de Matisse era feita para decorar a vida dos homens.
3.

O Jardim de Luxemburgo ? 1903

?O jardim de Luxemburo? foi pintado em 1903, com essa pintura nota-se uma busca por cores e desenhos mais soltos, uma criação tipicamente impressionista.
Esta obra de Matisse é sem dúvida um questionamento a respeito das regras da pintura. É possível notar que a perspectiva, as cores, a composição, e os traços já não obedecem mais aos padrões convencionais. Há nessa pintura um equilíbrio entre o domínio técnico e o gesto espontâneo da criação.
É uma pintura bem colorida que se compões principalmente por traços e manchas de tinta, a cor é criada e não imitada, a cor por si é luminosa. O desenho parece se dissolver sob as cores, é a concretização da cor sobre a forma, essa cor que aparece pura e sem sombreados, o que a meu ver, faz ressaltar o contraste entre elas, possui uma cor empasta, uma pincelada forte e talvez um tanto agressiva, são pinceladas sem claro-escuro. A pintura é iluminada pelos tons de azul, vermelho, amarelo e alaranjado. Uma das grandes questões do Fauvismo era não copiar literalmente a natureza, e acredito que é o que Matisse busca com essa imagem.


Veja mais em: Artes

Artigos Relacionados


- Henri Matisse
- écrits Et Propos Sur L´art
- Impressionismo (história)
- Impressionismo
- Abstracionismo
- Pintura Naive
- Impressionismo

 
Sobre o site: Quem Somos |  Contato |  Ajuda
Sites Parceiros: Curiosidades |  Livros Grátis |  Receitas |  Frases e Citações |  Ciências Biológicas |  Jogos Online