PUBLICIDADE

Página Principal : Cinema e Teatro


Tá pensando que é a rainha da Inglaterra?



Ao chegar no ótimo Estação Ipanema para ver ?A
Rainha? de Stephen Frears (sim, eu também confundo com os ingleses
Stephen Fry e Stephen Rea), tive a impressão de estar em duas
situações. Um: Num congresso sobre geriatria, pois provavelmente eu era
o único com menos de 40 anos na sala. Dois: Numa convenção de sósias da
Rainha Elizabeth, pois todas eram senhorinhas que mesmo nos primeiros
minutos do filme não paravam de fofocar das vidas alheias. E pensar que
elas, 20 anos atrás, nos mandavam calar a boca no cinema. Elas precisam
de um poço da rígida educação britânica. E justamente nesses primeiros
minutos, ainda com o letreiro incial, a pose da atriz principal Hellen
Mirren como num retrato oficial não deixa dúvidas a que ela veio. ?É
ela!? ? dizem. Até a logo do filme é igual ao do grupo do Freddie
Mercury. E geralmente em situações de extrema coincidência estética e
de interpretação nos dão conta pra quem vai o prêmio por atuação no ano. Mas
esse tipicamente filme inglês mostra o início do governo do então
moderno Tony Blair e a semana que se sucedeu à morte da Princesa Diana.
Os bastidores desses dois governos. Comportamentos, atitudes,
interesses e como uma das instituições britânicas mais veneradas desde
o futebol e o sistema de transportes, lidou com o fato. Mas graças ao
elenco de peso que tinha James Cromwell num auxílio luxuoso, um Tony
Blair perfeito e uma Mirren que meses antes encarnou a Rainha-mãe,
tornou tudo perfeito. Apenas a Rainha-mãe desse filme não tinha a
aparência exata, mas incorporou bem a sábia e simpática pé-de-cana real. A
grande sacada deste ?A Rainha? não é somente mostrar que Elizabeth é de
fato a mão de ferro da família, nem um Primeiro Ministro querendo
mostrar serviço (como sempre), mas em pequenas surpresas como ver uma
idosa mandatária real de um país encara,r um Land Rover numa trilha
esburacada, com a desenvoltura de um marine americano e ao mesmo tempo
ter seu momento de ternura ao maravilhar a natureza. E claro, a velha
troca de farpas entre o Parlamento e a Família Real, que sempre fez
questão de mostrar que a Princesa do Povo era apenas mais uma dentre
tantas infâmias que a história da realeza britânica nos mostrou.
Também, quem manda ter príncipes patetas a cada geração? Hollywood
gosta de dar sua fatia de bolo às produções da Grã Bretanha, laureando
com indicações, mas notadamente não são os maiores vencedores, o que
demonstra que os americanos querem mostrar que o santo de casa deles,
faz milagres. E melhor do que todos. Mas há de convir que aqueles de
formação Shakespeariana são melhores do que os do Actors Studio em
léguas de distância. E geralmente resultam em filmes mornos e lentos em
narrativa em detrimento a um visual de pesquisa muito bem apurado. Mas
não é este o caso de ?A Rainha? que fez um bom pacote em tudo. Pena,
que bairrismos à parte levam apenas o Bafta ? a premiação máxima do
cinema na Inglaterra. Mas que Mirren é ela, isso é verdade. E estejam
certos de que perguntarem ?Quem você pensa que é, a Rainha da
Inglaterra?? em razão da sua audácia de encarnar mãe e filha em filmes
diferentes, ela certamente dirá sim e dará as costas a todos, com a
famosa atitude de uma realeza britânica.


Veja mais em: Cinema e Teatro

Artigos Relacionados


- Roland Emmerich Detalha Seu Filme Sobre Shakespeare
- Diferença Entre Grã Bretanha, Reino Unido E Inglaterra
- Novas Linhas De Dramas Familiares
- Crianças Índigo
- Regentes De Portugal
- Helena De Troia
- Cleópatra, A Rainha Baranga

 
Sobre o site: Quem Somos |  Contato |  Ajuda
Sites Parceiros: Curiosidades |  Livros Grátis |  Receitas |  Frases e Citações |  Ciências Biológicas |  Jogos Online