PUBLICIDADE

Página Principal : Cinema e Teatro


Sybil



Sybil conta a história verídica da paciente psiquiátrica Sybil Isabel Dorsett, que sofria de Transtorno Dissociativo de Identidade
(também conhecido como MPD ? Multiple Personality Disorder ou
Transtorno de Múltiplas Personalidades, e que passou a ser oficialmente
chamado de DID - Dissociative Identity Disorder a partir de 1994). Ao
longo do tratamento, foram identificadas 16 personalidades de Sybil
(incluindo a Personalidade atuante, e várias personalidades femininas e
masculinas, de diversas idades).
Após a morte de Sybil em 1998, sua verdadeira identidade foi revelada; ela era Shirley Ardell Mason,
uma artista e professora de arte; o pseudônimo Sybil foi criado pela
escritora Flora Schreiber e pela Dra Cornelia Wilbur para proteger a
privacidade da paciente. Muito talentosa, Sybil pintava e desenhava em
vários estilos diferentes; na verdade, cada personalidade tinha um
estilo artístico próprio.
Sua história foi contada em livro, escrito por Flora Rheta Schreiber
e lançado em 1973; a autora foi convidada a escrever o livro pela Dra
Wilbur, a psiquiatra de Sybil. Flora e Sybil conviveram por três anos
durante o tratamento, e por muitos anos, como amigas, até a morte da
escritora, em 1988. O livro foi aprovado pela paciente e pela
psiquiatra, e tornou-se um sucesso de vendas logo após o lançamento.
Em 1976, foi lançado um filme contando a história de Sybil,
estrelado por Sally Field (Sybil) e Joanne Woodward (que já havia
representado uma paciente com múltiplas personalidades em ?As Duas Faces de Eva?,
de 1957, e aqui representou a psiquiatra, Dra Wilbur). O filme não foi
baseado no livro, mas o roteirista (Stewart Stern) teve acesso à
documentação psiquiátrica do caso e dramatizou alguns fatos no roteiro
(como a criação do personagem Richard, namorado de Sybil, que não
existia no livro).
Em
2007, a HBO lançou uma refilmagem da história, desta vez baseada apenas
no livro de Flora Schreiber. O filme é estrelado por Tammy Blanchard
(Sybil) e Jessica Lange (Dra. Wilbur; Jessica havia representado outra
mulher com problemas psiquiátricos, a atriz Frances Farmer, no filme ?Frances?).
Esta versão é mais fiel ao livro, embora haja alegações que o livro não
seja uma história de um caso psiquiátrico, mas uma narrativa
ficcionalizada, exagerada com o fim de chocar, e o filme ainda mais que
o livro (veja aqui)
. Livro e filmes mostram as torturas e repressões causadas pela mãe
esquizofrênica, o pai ausente, o avô fanático religioso e a morte
prematura da avó, único ponto de afeto e aceitação na vida da criança,
e a conseqüente fragmentação da personalidade da paciente, numa
tentativa de suportar os abusos sofridos.(leia o artigo completo em http://www.terracotabolsas.com/rato/?p=15)


Veja mais em: Cinema e Teatro

Artigos Relacionados


- Lula O Brasileiro. Lula O Filho Do Brasil
- Forrest Gump
- HistÓria De Catalunya
- Análise Iconológica Do Filme Adaptação
- Roteiro 3.2
- A História Da Arte
- O Sexto Sentido

 
Sobre o site: Quem Somos |  Contato |  Ajuda
Sites Parceiros: Curiosidades |  Livros Grátis |  Receitas |  Frases e Citações |  Ciências Biológicas |  Jogos Online