PUBLICIDADE

Página Principal : História


A sociedade egípcia



No Egito o faraó era o rei supremo, considerado um deus vivo, responsável pela proteção e prosperidade de seu povo. No entanto essa crença na "condição divina do rei" sofreu variações ao longo da história egípcia, ora reforçada, ora enfraquecida.

De modo geral, o faraó detinha autoridade religiosa, administrativa, judicial e militar. Podia ter diversas esposas, detinha posse da maioria das terras do país, e exercia considerável controle sobre as atividades econômicas.


Para governar, o faraó contava com os escribas, que conheciam a escrita egípcia. Entre suas funções estama visitar as províncias e os campos para cobrar tributos e fiscalizar as construções.


A grande maioria da população egípcia era constituída de componeses, seguidos pelos artesãos. Havia um grupo muito pequeno de escravos. Os camponeses eram responsáveis pela agricultura e criação de animais. Os artesãos de luxo, trabalhavam, geralmente nas oficinas urbanas, muitas vezes, instaladas nos templos e palácios. Já os artesãos menos qualificados trabalhavam em oficinas rurais. Havia assim, artesãos de ofícios variados, ferreiros, carpinteiros, barqueiros , tecelões, ceramistas, ourives, padeiros, cervejeiros. Já os escravos trabalhavam em serviços variados: nas casas, nas pedreiras, nas minas, nos campos.





Veja mais em: História

Artigos Relacionados


- A Vida Dura Dos Escravos
- A Sociedade Francesa às Vésperas Da Revolução
- Antiguidade Oriental(egito) Antigo Império
- Modo De Produção Asiático
- As Primeiras Civilizações
- Dez Pragas
- Atividade Econômica No Sistema Feudal

 
Sobre o site: Quem Somos |  Contato |  Ajuda
Sites Parceiros: Curiosidades |  Livros Grátis |  Receitas |  Frases e Citações |  Ciências Biológicas |  Jogos Online