PUBLICIDADE

Página Principal : Cinema e Teatro


Serial Killers ao longo da história do cinema



O termo Serial Killer começou a ser usado em na década de 1970 por Robert K. Ressler, um agente do FBI. Ressler observou que em alguns casos o assassino tinha algum tipo de contato com a vítima e começou a usar o novo termo. Mas por quê uma pessoa torna-se Serial Killer? Esta é uma pergunta que vários filmes e a própria psiquiatria tentaram responder, sem sucesso. Há vários estudos sobre o tema. Um deles, uma pesquisa feita por psiquiatras norte americanos em 1984 diz que na maioria dos casos, os Serial Killers tem uma doença que psiquiatria chama de Transtorno de Personalidade Anti-social . A pesquisa apontou que 2,5 % da população sofre deste mal numa proporção oito vezes mais homens do que mulheres. No entanto, alguns fatores fazem com que o distúrbio chegue no estágio mais avançado, o que, segundo psiquiatras, é o que pode levar uma pessoa a se tornar um Serial Killer. Esses fatores podem ser uma família mal estruturada, traumas de infância como estupros ou mortes de entes queridos, pais ausentes ou alcoólatras, dificuldades financeiras, etc. Um fator bem explorado nos filmes são algumas características que em sua maioria os serial killers têm em comum: aparentemente parecem ser uma pessoa normal na sociedade, escolhem suas vítimas de acordo com algo em comum entre elas, que pode ser idade, religião, cor da pele, etnia, etc. Geralmente não usam armas de fogo, a morte quase sempre é preparada, para o Serial Killer é como se fosse um ritual. Com todas essas características e com esse desvio psicológico que não se sabe como acontece, os casos com Serial Killers sempre chamaram a atenção. A partir da década de 1950, houve uma grande onda de Assassinos em Série nos Estados Unidos que aterrorizou a população, pois a mídia da época explorou muito esses casos. A televisão, recém inventada trazia as notícias rapidamente à população. Por exemplo: Um Serial que matava dez pessoas no interior do Texas ficava conhecido no país inteiro e por isso a população entrava em pânico. E foi a partir daí que o cinema começou a explorar este gênero. O cinema imitava a vida real para ganhar audiência. O primeiro filme que usou um desvio psicológico como fator para matar e fez um grande sucesso foi Psicose de 1960, filme de Alfred Hitchcock. Já na década de 1970, Serial Killers continuaram a ser explorados, mas de uma forma diferente, no gênero terror e de uma maneira muito "trash". Em 1973, o filme Massacre da Serra Elétrica, de Tobe Hooper alcançou algum sucesso. Ambo.s os filmes foram inspirados em casos reais. Mais ainda na década de 1980, há bons filmes que abordaram mais o aspecto psicológico do Serial Killer. É o caso de O iluminado, de 1980, que é dirigido por um dos mestres do cinema, Stanley Kubrick. Em 1984, outro filme que explora muito o aspecto psicológico como motivo para assassinato foi Vestida para matar, de Brian de Palma. A década de 1990 começou com tudo em termos de filme que abordam problemas psicológicos. Em 1991, o diretor Jonathan Demme um dos melhores filmes do gênero, O Silêncio dos Inocentes. A começar pelo elenco, que traz Anthony Hopkins e Jodie Foster em ótimas atuações. O filme conta a história de uma jovem agente do FBI, Clarice Starling (Foster), que é ajudada por um Serial Killer que já está preso, o doutor Hannibal Lecter (Hopkins), mais conhecido como Canibal, a prender um outro Serial Killer que está na ativa, Buffalo Bill (Ted Levine). O filme ganhou uma continuação em 2001, Hannibal, que foi bem nas bilheterias, mas nem tanto nas críticas. Em 1995, um outro filme sobre Serial Killer fez um grande sucesso e foi muito bem nas bilheterias, Seven impressionou a todos pelo seu roteiro, que surpreende no final. Com certeza, Seven e O Silêncio dos Inocentes são os maiores filmes que abordam Serial Killer. Mas ainda houve outros filmes sobre esse tema até hoje. Outro filme que também abordou distúrbios mentais e não foi tão bem, foi O Colecionador de Ossos, de 2000, que tem um bom elenco, com Angelina Jolie e DenzelWashington, mas com um roteiro que não agradou muito ao público. De um modo geral, filmes sobre Serial Killer, possuem histórias baseadas em fatos reais, ou muito fictícias, que vão causar algum tipo de reação ao público. Este gênero vai continuar existindo até porque filmes deste tipo agradam o público, que se identifica cada vez mais com o assunto, pois o números de casos de Serial Killers aumenta a cada ano.


Veja mais em: Cinema e Teatro

Artigos Relacionados


- Scoop, ?o Grande Furo?, é Uma Furada
- O Silêncio Dos Inocentes
- Explorando Os Vampiros No Cinema Americano
- Remakes - O Massacre Da Serra Elétrica
- A Sombra De Uma Suspeita
- Jogos Mortais 3 - Saw 3
- Owen Wilson Vai Atuar Em Novo Filme De Woody Allen

 
Sobre o site: Quem Somos |  Contato |  Ajuda
Sites Parceiros: Curiosidades |  Livros Grátis |  Receitas |  Frases e Citações |  Ciências Biológicas |  Jogos Online