PUBLICIDADE

Página Principal : Teoria e Crítica


Amor é prosa, Sexo é poesia



São 36 crônicas que questionam o comportamento humano num tom nostálgico e desiludido que nos faz viajar no tempo e mesmo para quem não vivenciou a época narrada remete a um desejo de mudança e a saudade de um tempo em que as pessoas acreditavam em suas ideologias e viviam imersos a planos quase utópicos para um país diferente, seu inconformismo com o que o mundo se transformou é exposto em cada história, sempre com seu humor fino e levemente sarcástico, mas sem dúvida muito inteligente.  Com suas críticas, ele atua como um historiador da atualidade. O livro serve como um resumo reflexivo dos fatos mais importantes do início deste século, abordando temas como a pedofilia entre os padres, o assassinato dos Richthofen, a arrogância de George W. Bush e a mudança trazida pelos fundamentalistas da Al-Qaeda. Ainda nos abre um pouco de sua vida e nos dá a oportunidade de enxergá-lo como uma pessoa comum, acima de sua figura popular. É alguém que enxerga, mas não aceita a estupidez de uma sociedade consumista com sua cultura de espetáculos, bundas e peitos siliconados. Ele brada e ataca, na tentativa de sacudir uma nação anestesiada e assim tenta fazer com que as pessoas enxerguem a absurda ilusão que estão vivendo. Seu olhar é sempre comparativo: amor é isso, sexo é aquilo; antes era assim, hoje é desse jeito e nos dá a sensação de que o passado de tudo e de todos sempre parece melhor. É uma boa opção de livro para ser lido aos picados, sem comprometimento ou preocupação de se chegar ao fim e por serem textos avulsos e isolados um dos outros ele nos possibilita este prazer.


Veja mais em: Teoria e Crítica

Artigos Relacionados


- Secret
- Jesus
- O Fenómeno Religioso
- O Que é O Que ?
- Herman José
- 1984
- O Disléxico Bush

 
Sobre o site: Quem Somos |  Contato |  Ajuda
Sites Parceiros: Curiosidades |  Livros Grátis |  Receitas |  Frases e Citações |  Ciências Biológicas |  Jogos Online