PUBLICIDADE

Página Principal : Estudos de Religião


Cleromancia





CLEROMANCIA


                                       Desde os mais remotos tempos, o ser humano, sempre esteve interessado em desvendar o desconhecido. O passado e o presente; são importantes,  mas predizer o futuro é algo instigante.


                                        A  cultura cigana por si só é muito fascinante!  E com respeito aos oráculos, todos sem exceção,  são envoltos de símbolos milenares que tentamos  decifrar ao longo desses anos.


                                       Inúmeras são as  formas  de  orientações:  astrologia,  numerologia,  cartomancia,  quiromancia,  tarô...  Algumas caíram no esquecimento,  como:  aeromancia  (observação do ar),  acutomancia (agulhas),  caomancia (observação das imagens aéreas),  capnomancia (observação da fumaça liberada por  queima ritualística), ceromancia (desenhos feitos de cera),  cromniomancia (adivinhação por cebolas), dendromancia (observação de árvores derrubadas)  e oinomancia (adivinhação pelo vinho), ofdiomancia (observação do movimento das serpentes), entre outras.


                                       A cleromancia  (adivinhação por meio de lançamento dos dados),  descende  do  Oriente  da  civilização sumeriana;  é um método  simples,  muito difundido entre os ciganos,  basicamente pelos homens,  que tem por hábito carregá-los no bolso,  para utilizá-los nos períodos em que necessitam  tomar  decisões.


                                       O manipulador  mentaliza a  situação ou pergunta,  coloca os dados  num copo e  lança-os sobre uma  superfície forrada com um lenço ou  toalha,  contabiliza  os números  e  o resultado  da soma é  a resposta da questão formulada.  Os números deverão ser  considerados de dois a doze:  os pares são negativos e os ímpares, positivos, e de dois a dezoito, o caráter simbólico.


                                      Como todo método divinatório, os dados, considerados oráculo complementar; também necessitam passar pelo ritual de limpeza (água do rio, lago,  chuva,  cachoeira,  mar ou poço),  energização (com oferendas)  e consagração para só então estar pronto para ser manipulado.  Após esse procedimento, não deverá ser tocado por outra pessoa a não ser o seu dono.


                                       Seja qual for o método escolhido, a dedicação é essencial!




                    Elzani Gomes




Veja mais em: Estudos de Religião

Artigos Relacionados


- Reconvenção
- Páginas Para Pensar
- Catopê (folclore Brasileiro 5)
- Evolução Do Imperativismo Jurídico. In: Teoria Da Norma Jurídica
- Dinâmicas Para Momentos De Encontros
- O Conceito De Deontologia
- O Velho E O Novo: Antropologia Física E História Indígena

 
Sobre o site: Quem Somos |  Contato |  Ajuda
Sites Parceiros: Curiosidades |  Livros Grátis |  Receitas |  Frases e Citações |  Ciências Biológicas |  Jogos Online