PUBLICIDADE

Página Principal : História


A Guerra dos Mascates



Até o final do século XVII, Olinda era a principal cidade de Pernambuco. Nela moravam ricos senhores de engenho, que por muito tempo pensaram que sua fortuna nunca acabaria. Mas foi exatamente isso o que aconteceu, devido à queda do preço do açúcar no mercado europeu causada pela concorrência do açúcar antilhano.

Com a queda dos preços do açúcar, os senhores de engenho de Olinda começaram a pedir dinheiro emprestado aos comerciantes do povoado do Recife, que cobravam juros altos pelo empréstimo. Enquanto os comerciantes do Recife progrediam em seus negócios, os senhores de engenho ficavam cada vez mais pobres e endividados.

Aos poucos, foram surgindo ódios e conflitos entre eles. Em tom de provocação, os senhores de engenho apelidaram os comerciantes de mascates.

Conscientes de sua importância, os comerciantes pediram ao rei de Portugal D.João V, que seu povoado fosse elevado à categoria de vila. Queriam ver Recife independente de Olinda, sem ter de pagar-lhe impostos ou obedecer a suas ordens.

D.João V atendeu ao pedido dos comerciantes, mas os senhores de engenho não aceitaram a sua decisão. Organizaram uma rebelião e, liderados pelo proprietário de engenho Bernardo Vieira de Melo, invadiram Recife. Sem condições de resistir, os comerciantes mais ricos fugiram para não serem capturados. Esse luta, em 1710 ficou conhecida como guerra dos mascates.

Em 1711, o governo português interveio na região, reprimindo duramente os revoltosos. Bernardo Vieira de Melo e outros lideres foram presos e condenados ao exílio. Os mascates reassumiram suas posições, e Recife tornou-se a capital de Pernambuco.



Veja mais em: História

 
Sobre o site: Quem Somos |  Contato |  Ajuda
Sites Parceiros: Curiosidades |  Livros Grátis |  Receitas |  Frases e Citações |  Ciências Biológicas |  Jogos Online