PUBLICIDADE

Página Principal : Filosofia


PENSAR EM PALAVRAS



O ser humano pensa em palavras. Assim , acho estranho quando alguém me critica en qualquer abstarto, sendo que nem escrever sabe !
O ser humano " normal " tem uma quantia de palavras em seu vocabulário que permite que tenha determinado tipo de raciocínio, sendo-lhe impossível pensar além daquilo, exatamente pela diminuta quantia de palavras das quais pode-se utilizar para se comunicar. Os débeis mentais talvez tenham um vocabulário com cerca de 10 palavras, sendo a eles impossível praticamente qualquer tipo de pensamento.
Pelo mesmo motivo, o surdo - mudo tem um rebaixamento de Q.I. , exatamente por poder pensar pouco frente ao conjunto de palavras de que pode lançar mão para pensar, para tentar qualquer tipo de raciocínio.
Num de meus abstratos próximos deste, uma pessoa que assina como Camila, mas escreve como uma mula, não tem a menor capacidade de escrever. Que dirá de pensar, quando não sabe sequer fazer a concordância de uma frase.
Meu negócio é lidar com o único órgão do ser humano que não emite DOR, ou seja o cérebro. Creio que hajam poucas pessoas que consigam fazer esse tipo de trabalho, fora meus analizandos, em todo o mundo .
Um professor de Psiquiatria do Hospital das Clínicas
da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo disse , em entrevista à revista VEJA, há alguns anos, que quem está indiferente frente ao PRAZER e à DOR está doente. Prefiro omitir o nome do imbecil. Mas o fato de ele ser professor da Psiquiatria da USP não o autoriza a chamar NIRVANA de doença, mesmo desconhecendo seu significado.
NIRVANA é o bem supremo preseguido pelos budistas e nível que atingí há cerca de 20 (VINTE) anos. Um imbecil , mesmo que professor, não pode, sob os auspícios da revista VEJA, dar informações falsas deste porte .
Os psiquiatras , de uma forma geral, tem sido apenas prescrevedores de " remedinhos ", sendo que a profissão de propagandistas de laboratório lhes cairia melhor . Os analistas são extremamente raros, em todo o mundo.
De qualquer forma , há necessidade de estabelecer que o ser humano normal chega a se utilizar de 60 a 200 palavras em seu vocabulário, apresentando, pelo mesmo motivo , limitação intelectiva.
Um dos abstratos, editados pelo shvoong tem 4 ( quatro ) palavras de repetição. "Tudo tenho, nada quero ". E tem gente que lê e acha uma graça. Isso quando não lêem o abstrato do Mirandum : " O que estamos a procurá ".
Haveria necessidade dos que inserem algum tipo de comentário, sejam professores universitários , sejam imbecís completos, que tivessem ao menos capacidade intelectiva para tecer algum tipo de comentário que não fosse apenas de uma pessoa que se identifica como NÃO POSSUIDORA DE SOBRENOME PATERNO , ou que venha a escrever aquilo que nem sequer sabe escrever, tentando ensinar, no meu caso, todos os percalços que se encontra em toda a gama de moléstias mentais, como por exemplo a esquizofrenia que parece ser a máquina propulsora dessas cabeças doidas que se colocam a escrever alguns comentários para poderem ter o nome em alguns abstratos, pela incapacidade pessoal de escreverem suas próprias sandices.
Leiam mais, escrevam menos.
Assina - Magnus Amaral Campos


Veja mais em: Filosofia

Artigos Relacionados


- Shvoong, Um Pouco De Filtro. ..
- Cara Gabriela Do Time Do Shvoong,
- Decoradores De Filosofia
- Os Termos De Que Me Utilizo
- VÁ Procurar Um Psiquiatra !
- Escrever Na Vida
- O Shvoong Deve - Se Decidir

 
Sobre o site: Quem Somos |  Contato |  Ajuda
Sites Parceiros: Curiosidades |  Livros Grátis |  Receitas |  Frases e Citações |  Ciências Biológicas |  Jogos Online