PUBLICIDADE

Página Principal : Filosofia


Posições - Defesa de Amiens



Althusser considera que o pensamento de Marx é um pensamento inaudito e revolucionário. É inaudito por ser uma primeira tentativa de aproximação à ciência da história, revolucionário, dado que, acarreta várias alterações no pensamento da sociedade, fornece ?à filosofia elementos para assumir e transformar a sua prática<1>?.
Althusser no seu texto refere-se à última instância, ao conhecimento e anti- humanismo de Marx.
A última instância é a defesa da economia como o constituinte da sociedade, o homem não constitui a sociedade. O tópico marxista refere-se a realidades dadas, usa a metáfora do edifício para demonstrar o conceito de última instância. Há um conjunto estruturado que supõe uma base que determina a superstrutura. Esta base é comandada pelas relações de produção e já não pelo homem. A base é contraditória porque pode ser determinada por outras instâncias.
A última instância na determinação tem uma duplicidade: ?demarca Marx radicalmente de todo o mecanismo e abre na determinação o jogo das diferentes instâncias<2>?.
Em Marx existe um todo e não uma totalidade, como com Hegel. Refere-se a um todo porque trata-se da existência de uma superstrutura assente na base, supõe o primado do materialismo.
Marx pensa as diferenças existentes como reais, trata-se de diferenças a nível da eficácia da última instância.
A categoria de totalidade de Hegel supõe a lógica de origem, onde se encontra o gérmen, o todo é a categoria de Marx, porque implica a ?independência de um elemento<3>?, que mais não é que a sua dependência. A economia é o determinante da luta de classes, a luta de classes prolonga-se por vários níveis.
O desenvolvimento ocorre de forma desigual, e é esta desigualdade que possibilita o movimento.
Na questão do conhecimento Marx aproxima-se de um Espinosa. Não há um sujeito no conhecimento, no sentido ontológico. O necessário é um indivíduo metafísico que é determinado pelo conhecimento.
O conhecimento ocorre segundo um processo de três generalidades, a primeira é a matéria-prima, a segunda são os instrumentos de produção, que ao trabalhar sobre a primeira possibilita o conhecimento que é a terceira generalidade.
Para Marx o conhecimento ocorre do abstracto para o concreto, ?é o conhecimento de um objecto real<4>?. O objecto real tem primazia perante o objecto do conhecimento, é uma defesa da tese materialista.
Em traços gerais, o conhecimento deve realizar-se como se fosse uma situação de produção. Marx afirma que o trabalho vivo deve acrescentar novo valor às matérias para ser possível a conservação do trabalho morto nos meios de produção sendo transmitido ao produto, que acaba por ser a ?adição dum novo valor que mantém o antigo<5>?.
O último ponto referido por Althusser sobre Marx é o anti-humanismo. Marx era um defensor de Feuerbach, porém vai refutar essa teoria Feuerbachiana.
Marx rompe com o humanismo teórico é assim o início de uma nova etapa no pensamento de Marx, o seu humanismo é filosófico.
Segundo Marx ?o que determina em última instância uma formação social e o que permite o seu conhecimento<6>? é a relação de produção. A relação de produção realiza uma união entre a base e a infra-estrutura. É uma relação entre grupo de pessoas e meios de produção.
Os homens são encarados como ?suportes? de relações ou como ?portadores? de alguma função no processo de produção. O processo de produção é determinado pelas relações de produção. As relações de produção estão submetidas à lei de exploração. Trata-se de leis que apresentam relações antagónicas, provocam a luta de classes. São as relações de produção que estão na base do desenvolvimento e do conhecimento.
A última instância, no contexto do anti-humanismo, surge como esclarecedora da diferença e desigualdades presentes nas lutas de classes. Lutas essas que passam pelas instâncias da superstrutura, a todos os níveis.
?O anti-humanismo teórico de Marx no materialismo histórico apresenta a recusa a fundar a explicação das formações sociais e respectiva história<7>?.

Marx não considera o homem como o ponto de partida, isto para que possa alcançar os homens no seu concreto, e o conhecimento das leis que regulam quer a vida quer as lutas entre os homens concretos. ?Marx mostra como cada relação marca os homens na sua vida concreta, orientada pelas formas e efeitos da luta de classes<8>?.

<1> ALTHUSSER, Louis, Posições
, ?Defesa de tese de Amiens?, pág. 139, Horizonte Universitário.

<2> ALTHUSSER, Louis, Posições
, ?Defesa de tese de Amiens?, pág. 142, Horizonte Universitário

<3> ALTHUSSER, Louis, Posições
, ?Defesa de tese de Amiens?, pág. 148, Horizonte Universitário

<4> ALTHUSSER, Louis, Posições
, ?Defesa de tese de Amiens?, pág. 155, Horizonte Universitário

<5> O Capital, Edtions Sociales, t.1, pág.199, in ALTHUSSER, Louis, Posições
, ?Defesa de tese de Amiens?, pág. 159, Horizonte Universitário

<6> ALTHUSSER, Louis, Posições
, ?Defesa de tese de Amiens?, pág. 165, Horizonte Universitário

<7> ALTHUSSER, Louis, Posições
, ?Defesa de tese de Amiens?, pág. 169, Horizonte Universitário

<8> ALTHUSSER, Louis, Posições
, ?Defesa de tese de Amiens?, pág. 170, Horizonte Universitário


Veja mais em: Filosofia

Artigos Relacionados


- Ideologia E Ciencia Social
- Marx - Cooperação - Teses Sobre Feuerbach
- Sobre Literatura E Arte
- Marx E O Trabalho
- O Capital
- Concepção Marxista Sobre O Estado
- Sociologia Do Trabalho: Exploração Ou Libertação

 
Sobre o site: Quem Somos |  Contato |  Ajuda
Sites Parceiros: Curiosidades |  Livros Grátis |  Receitas |  Frases e Citações |  Ciências Biológicas |  Jogos Online