PUBLICIDADE

Página Principal : Filosofia


ANTROPOLOGIA





Disciplina Homem e
sociedade

Profª: Luciana Lira

Origens e debates:
entre o cultural e o biológico

-Conciliação entre a unidade biológica e a grande
diversidade cultural da espécie humana:

-O homem sempre mostrou-se surpreso com as diferenças de
comportamento entre indivíduos de grupo diferentes:

Confúcio quatro séculos antes de Cristo afirmou: ?A natureza
dos homens é a mesma, são os seus hábitos que o matem separados?

Heródoto 484-425 a.C: sobre os costumes Lícios da
linhagem feminina. Ele tomou como referência sua própria sociedade patrilenear.

Marco Pólo falou sobre a habitação, o nomandismo, os hábitos
alimentares, etc, dos Tártaros

Padre José Anchieta e Montaigne sobre o canibalismo
Tupinanbá.

Diferenças culturais na contemporaneidade:

Costume do suicídio ritual no Japão harakiri (heroísmo);
obesidade como sinal de virilidade entre os ciganos, interdição da carne de
vaca, exposição do corpo da mulher aqui e entre os islâmicos, etc.

Determinismo biológico: teorias que atribuem capacidades
específicas inatas a ?raças? ou a grupos humanos classificados em tipos.

Porém, sabe-se que diferenças genéticas não são
determinantes para diferenças culturais.

?Qualquer criança humana normal pode ser educada em qualquer
cultura se for colada desde o início em situação conveniente de aprendizado?.

1950- Declaração da UNESCO

Diferenças
culturais explicadas pela história cultural de cada grupo e não por
hereditariedade genética. Dois fatores que conduziram a evolução:
faculdade de aprender e sua plasticidade. Cracterpisticas do Homo sapiens.
Grupos
humanos não diferem em traços psicológicos inatos:
inteligência/temperamento.

Diferenças na anatomia e fisiologia de homens e mulheres não
explicam diferenças de comportamento. Divisão sexual do trabalho definida culturalmente
e não em função de uma racionalidade biológica. Ex: transporte de água pelas
mulheres (grande esforço físico); até metade do século passado mulheres não
eram aceitas no Banco do Brasil; exército israelense não perdeu nada de sua
eficácia com a admissão em massa de mulheres.

Endoculturação: processo de aprendizado cultural do
indivíduo no grupo em que está inserido. Diferenças não em função de hormônios,
mas de educação diferenciada.

Determinismo geográfico: considera que as diferenças dos
ambientes físicos condicionam a diversidade cultural

Desde a antiguidade várias foram as tentativas de
explicações sobre as diferenças de comportamento baseadas nas variações dos
ambientes físicos.

Inteligência relacionada ao clima: quente e frio; natureza
passional e falta de vivacidade.

Filosofo francês afirmava que os povos do norte imbuídos do
fleuma eram fiéis, leais, crués e sem interesse sexual enquanto os do Sul
seriam maliciosos, engenhosos, orientados para ciência, inaptos às atividades
políticas.

Teorias desenvolvidas por geógrafos no final do séc XIX E
início do XX, ganharam popularidade com a idéia de relação entre clima e
dinâmica do progresso.

Contra-prova: existência de diversidade cultural localizada
em um mesmo tipo de ambiente físico. Ex: esquimós e lapões; povos que habitam o
Parque Nacional Xingu: diferenças na língua, nos costumes, crenças, hábitos
alimentares (xinguanos não comem carne de mamífero e Kayabi preferem essa
caça).

Diferenças entre os homens não podem ser explicadas nem pelo
aparato biológico, nem pelo meio ambiente. A espécie humana rompe suas próprias
limitações, dominou a natureza e se transformou no mais temível dos predadores.
Difere dos outros animais porque possui cultura

Definição de Tylor buscou abranger todas as possibilidades
humanas marcadas por seu caráter de aprendizado em oposição a idéia de
aquisição inata, transmitida por mecanismos biológicos.

Possibilidade de comunicação oral e fabricação de
instrumentos capazes de tornar mais eficiente seu aparato biológico.

Locke: mente humana como caixa vazia, dotada de uma
capacidade ilimitada de obter conhecimento, através de um processo que chamamos
endoculturação.

Turgot: capacidade de simbolizar, multiplicar idéias, reter
as idéias, comunicá-las e transmiti-las as outras gerações.

Idéias sobre as origens da cultura

O homem produziu cultura a partir do momento que seu cérebro
evoluiu dos primatas e foi capaz de assim proceder.

Desenvolvimento do cérebro: na vida arborícola faro perdeu
importância, maior capacidade de
utilização das mãos. Pegar e examinar um objeto atribui a este significado
próprio. Posição ereta, maiores estímulos ao cérebro.

Antropologia: Claude Lvi-Strauss considera que a cultura
surgiu com a primeira norma, a saber, a
proibição do incesto, padrão de comportamento universal, que ocorre de formas
diversas.

Leslie White, passagem da natureza à cultura ligada à
capacidade do homem de gerar símbolos. O comportamento é antes de tudo
simbólico, chave para a participação do indivíduo no mundo. Símbolo: forma
física aliada ao significado que só é possível conhecer através da cultura que
o criou.

Processo evolutivo foi lento e gradual

Geertz: Australopiteco ? a maior parte do desenvolvimento
cortical humano foi posterior ao início da cultura?. Homem não é apenas
produtor da cultura, mas produto da cultura.

A cultura desenvolveu-se, pois, simultaneamente com o
próprio equipamento biológico e é, por isso mesmo, compreendida como uma das
características da espécie, ao lado do bipedismo e de um adequado volume
cerebral.



Veja mais em: Filosofia

Artigos Relacionados


- A Educação E A Actividade Lúdica
- Desigualdades De Género
- A Cultura
- Marvin Harris: Introdução A Antropología Geral. Antropología Física.
- O Dimorfismo Sexual
- A Educação Do Ponto De Vista Biológico
- Algumas Diferenças Entre Antropologia E Sociologia

 
Sobre o site: Quem Somos |  Contato |  Ajuda
Sites Parceiros: Curiosidades |  Livros Grátis |  Receitas |  Frases e Citações |  Ciências Biológicas |  Jogos Online