PUBLICIDADE

Página Principal : História


A Luta Pela Autonomia Feminina



No período colonial, a mulher de ?boa família? viva submissa ao homem e trancada em casa. Durante o Império, passou a ser vista pelas ruas, na companhia vigilante do pai ou do marido. Na Republica, entretanto, ela foi dando passos decisivos para romper o circulo fechado que a oprimia.

As mulheres operarias muito contribuíram na luta pela autonomia feminina. Embora recebessem salário inferior ao do homem, igualava-se a ele ao sair dos lares para trabalhar nas fábricas e completar o reduzido orçamento familiar. Elas mostravam que as mulheres da cidade podiam executar outros trabalhos além das tradicionais profissões de enfermeira e professora.

Outro fator que abalou o mito da inferioridade feminina foi o surgimento do cinema no Brasil, em 1907. pelos filmes, as mulheres começaram a tomar contato com o mundo, fora dos limites do lar. Descobriram um modelo dinâmico de mulher, reflexo de uma sociedade moderna, industrializada. Belas e encantadoras, as personagens femininas de hollywood eram psicologicamente fortes, determinadas, participativas.

O advento da Republica e suas mudanças institucionais fizeram nascer, também, a esperança na aprovação do voto feminino pelos deputados. Em 1920, Berta Luiz fundou a Liga pela Emancipação Intelectual da Mulher para lutar pela desigualdade de salários e pelo sufrágio feminino.

No entanto, as mulheres só conquistaram direito de voto em meados da década de 30.



Veja mais em: História

Artigos Relacionados


- A Mulher No Mundo Do Trabalho: Igualdade De Oportunidades Sim Ou Não?
- Papel Da Mulher Na Sociedade Ao Longo Da História
- Simone De Beauvoir
- Feminismo E Movimento Feminista
- Todos Os Dias Das Mulheres !
- História Das Mulheres No Brasil
- African Literature And The Politics Of Gender

 
Sobre o site: Quem Somos |  Contato |  Ajuda
Sites Parceiros: Curiosidades |  Livros Grátis |  Receitas |  Frases e Citações |  Ciências Biológicas |  Jogos Online