PUBLICIDADE

Página Principal : História


****Sobrevivi A MORTE*****



***** SOBREVIVI A MORTE***** ?Todo dia ela vem, embusca de alguém ou até mesmo de varios alguens. Um dia estava eu prestes a pegar o Voo RIO-PARIS. Mas ainda faltva uma hora e meia. No caminho para o aeroporto Galeão;estava num taxi que me levaria primeiro ;numa breve despedida. No cartão posta mais lindo do Rio ?praia de Copacabana. simplismente sentada ao lado do poeta Drumond. num papo extremamente poético. e para compensar admirando o Mar.havia algo estranho em mim Uma certa melancolia deixavam me olhos marejados ,cinzentos e mesmo inexplicável. Não posso negar que tinha um vazio em meu peito. Meu coração enfraquecido,descompensado. Derepente como que do nada encontro uma amiga parecia até uma aparição; como se saísse do mar.trazida pelas ondas até mim, ?Fiquei surpresa pois na noite anterior ja havia nos despedido, uma reunião entre amigos. Ela já foi dizendo;que tinha certeza que eu estaria ali. E me abraçou forte,e tinha sonhado comigo e não conseguiu segurar as lágrimas. Por alguns instantes meu coração bateu tão forte; Descompassado;que temi; pela primeira vez o dia fatal,a ida sem volta,o sono eterno a pausa,e o fim de mim. E naquele dia eu perdi o voo propositalmente. Não embarquei. Simplismente me entreguei entre um Chopp e outro. E um brinde aos melhores momentos que vivi. Quando me dei conta,o dia passou ;trazendo um belo entardecer. E justamente aquele Voo,que foi sem mim; Siquer houve sobrevivente. Apos uma tragedia em alto mar. Ai comecei a me questionar,porque me mantiveram aqui;e até quando! Pois o dia é chegado e todos teremos que partir. Deixar a terra,esse mundo e tudo o que construimos para trás. AInda ouço pessoas que dizem que cada um tem seu livre arbítrio. e faz o que quer de sua vida; Não concordo e jamais acreditarei nisso! Pois o destino que nos Regi;um dia leva a gente. Mesmo quando ainda temos muito o que fazer. Escapei da morte sim;não pegando aquele voo. Mas nunca defitivamente. Um dia sei qe nos encontraremos ela e eu,a morte e eu. e nos abraçaremos num pacto de eternidade que fizemos a nascer. Sabendo sempre que nada prevalece na vida e que um dia tudo teria fim. E que tudo seria apenas um empréstimo; Onde o espírito precisava retornar do lugar de onde viera, e não adiantava temer por esse dia;pois por mais que em determinados momentos sobrevivessemos a tantas, tribulações Es que um dia é chegado silenciosamente e certamente nos levaria daqui para sempre.PARA QUE FOSSE COMO NUM VOO,QUE JAMAIS CHEGOU AO DESTINO. ps-não temer a morte é viver em paz,consigo mesmo. é aproveitar cada minuto,mesmo sabedo que pode ser o ultimo,e o brilho da vida está justamente nisso.viva somente o dia de hoje.



Veja mais em: História

Artigos Relacionados


- "a Vida Que Eu Vivi No Teatro"
- Pensemos No Nosso Fim Sem Tristeza
- Versão Do Amor No Ser Humano
- O Livre Arbítrio
- Pomba-gira Das Sete Saias
- Eu Tentei
- Não Sei Se O Mundo Parou

 
Sobre o site: Quem Somos |  Contato |  Ajuda
Sites Parceiros: Curiosidades |  Livros Grátis |  Receitas |  Frases e Citações |  Ciências Biológicas |  Jogos Online