PUBLICIDADE

Página Principal : Linguística


Português ou Brasileiro - Um convite a pesquisa. Marcos Bagno



?Em que se vai trocando as pernas?(Português ou Brasileiro ? Um convite à pesquisa;3ª Ed. ? 2002) ? Marcos Bagno

No texto Marcos Bagno trata da inexistência ou mito (como ele mesmo o chama) da ? passiva sintética ou passiva pronominal?. Segundo as gramáticas normativistas a estrutura passiva no português do Brasil, se dá em orações com verbo ser (raramente: estar, ficar, vir, etc..) seguido de um particípio passado, assim chamada de passiva analítica.
A partícula SE mencionada por Said Ali, Monteiro e Bagno ocupa a posição de sujeito, isso apartir de uma analise mais profunda e diferenciada das que comumente é encontrada nas gramáticas e manuais didáticos.
O autor expõe os seguintes exemplos:

Lá em casa se lê muito.
Lá em casa se lê muito jornal.

O autor apresenta a noção de que esse SE não pode ser outra coisa, na função sintática das oração, de que não seja a de sujeito indeterminado. E que a única diferenciação entre as orações é a que na primeira o verbo é intransitivo e na segunda o verbo é transitivo direto, temos então, o jornal como objeto direto. Bagno julga, ainda ?descabida? conceitos como ?SE apassivador?, ?passiva sintética?, ?passiva pronominal?.
Bagno parte para exemplos cotidianos em que autores, jornalista e escritores não aplicam a regra normativa de concordância para uso do SE, como em:
(6) ?Num debate entre gente mais culta que eu, reclamei do primarismo com que se rotula os outros...?
Seguindo suas evidencias o autor trata da questão dos velhos macetes empregados para se transformar uma passiva sintética em passiva analítica. E por meio de exemplos Bagno mostra a total ilogicidade existente nesse processo que é falho em algumas frase como em:
Quantos minutos se leva daqui até lá de carro?
Quantos minutos são levados daqui até lá de carro?
Em seu texto Bagno mostra de uma forma categórica e inrefutável que a ?pseudopassiva sintética? ou ?pseudo passiva pronomonal? não passam de um mito contado pelas gramáticas normativas ou um fantasma que paira sobre nossas cabeças.Escreva o seu resumo aqui.


Veja mais em: Linguística

Artigos Relacionados


- ?língua-padrão Ou Padrão-língua? As Vicissitudes Do Conceito De Norma?
- A Língua De Eulália
- "manual Da Falta De QuÊ?"
- A Língua De Eulália
- "a ´lÍngua Dos Comandos Paragramaticais"
- Present Perfect
- Verbo To Be - Present Tense

 
Sobre o site: Quem Somos |  Contato |  Ajuda
Sites Parceiros: Curiosidades |  Livros Grátis |  Receitas |  Frases e Citações |  Ciências Biológicas |  Jogos Online