PUBLICIDADE

Página Principal : Linguística


O Mundo Maravilhoso da Palavra intraduzível



Cada língua possui uma abordagem distinta para a mesma realidade, mas suas diferenças podem ser apenas aparentes.

  Que o amor é complicado ninguém questiona. O povo boro, na índia, tem um vocabulário aparentemente bem mais atento às nuances desse sentimento do que muitas línguas: para eles Onsay significa ´´fingir amar``, Ongubsy, ´´amar de verdade`` e Onsia, ´´amar pela última vez``.

  É como se certos povos vissem e sentissem certas coisas e fenômenos a que outros não parecem atentos.

  Sentida diferente, a experiência humana é parecida em  lugares, os mais diversos.

  Cada língua tem ´´palavras de toque`` , cristais raros, que concentram a aventura humana de uma cultura.

  A cultura dos povos manifesta-se principalmente por meio de sua língua.

  Há termos que carrega uma forte carga cultural, e quanto mais intensa ela ela for, maiores serão as barreiras tradutórias.

  Um dos maiores desafios do tradutor de obras literárias, é encontrar palavras que reflitam o estranhamento de uma realidade alheia _ homens, cores, plantas, odores e ritmos de uma cultura.

  Pelas palavras dos outros vemos outras realidades, outras paisagens, comportamentos; que talvez estejam aqui também, entre nós, invisíveis porém.

  O alemão produz muitas palavras compostas: ao se juntarem dois radicais, o significado de um se projeta sobre o outro, que gera um terceiro significado que, por sua vez não representa simplesmente a soma dos dois.

  Há muito se acabou o zelo solitário dos léxicografos da Era Vitoriana.

  Cada língua tem palavras ´´sem tradução`` mas a experiência humana é comum a vários povos.

  O mito do intraduzível insinua um desejo de superação: O tradutor se debate com o ´´o genio da língua``, que ganha proporção de montanhas, abismos, imagens de pequenez e vertigem.

  Os inimigos do tradutor são a ´´densidade`` (a opacidade), a ´´riqueza``, a ´´raridade`` (preciosidade) da língua a ser traduzida, que parecem sempre maiores do que a da língua para a qual se traduzirá, que parece estar estar em posição de deficiência, de falta.

  No culto do intraduzível, há fascínio pela impossibilidade de dizer. Fascínio e medo: admiramos quem pode nos dizer o que não podemos, duvidamos de quem nos ensina a dizer o que antes não achávamos que podíamos.

ninamar

anap_ferr@hotmail.com


Veja mais em: Linguística

Artigos Relacionados


- A Língua Portuguesa No Mundo
- Jorge Amado _ O Amante Da Expressão Popular
- A Unificação Ortográfica Chegou Em Boa Hora ?
- Sofrendo A Gramática
- A Língua Portuguesa - Parte I
- Afinal, Para Que Serve O Esperanto?
- Www.lernu.net/

 
Sobre o site: Quem Somos |  Contato |  Ajuda
Sites Parceiros: Curiosidades |  Livros Grátis |  Receitas |  Frases e Citações |  Ciências Biológicas |  Jogos Online