PUBLICIDADE

Página Principal : Linguística


O Signo



SIGNOS: VEÍCULOS DE VARIEDADE

Comunicação e Variedade: a necessidade de se comunicar, inclusive os animais (10 a 37 categorias de sinais, como sons, gestos, química, ...);

Linguagem verbal e a dupla articulação:

-Primeira: Significado em uma seqüência de unidades (chamadas nomenas);

Monemas = palavras raízes = signos;

Signos: são divididos em Significado e Significante.

-Segunda articulação: são os fonemas, sem significados, não são signos;

O número de fonemas de uma língua são poucas dezenas; o número de monemas é variável pois evoluem com o tempo;

-Signo: ?algo que está por outra coisa?.

A dupla articulação é comum a todas as línguas.

Supersignos: reunião normalizada de signos, aceita na memória perceptiva como um todo: uma frase ou texto substituida por um signo, como por exemplo a sinalização de trânsito.

Sinais acústicos > repertório psicofísico > fonemas > sílabas > palavras > frases.



Articulação dos códigos visuais: de uma ou dupla articulação.

- L.Prieto:

SEMAS: enunciado lingüístico (sintagma ou frase);

SIGNOS: unidades de significação (monemas);

FIGURAS: unidades destituídas de significação (fonemas).

-Umberto Eco: Códigos Visuais

Códigos sem articulação: não decomponíveis;

-de sema único: bengala branca do cego;

-de significante zero: luz do freio, o silêncio 

-com vários semas (números, letras, sinais); sinais de trânsito

-com segunda articulação: sentido junto somente;  linha de ônibus

-com primeira    ??         : sentido juntos ou separados; numero apto.

-com dupla        ??         : várias combinações: numero telefone

 A simbologia no transporte público: cores dos ônibus, modelos, numeração, indicações, paradas, etc.

-SIGNOS, VEÍCULOS DE SIGNIFICADO

O signo: algo que está por outra coisa, elo de uma mediação no processo semiótico dotado de significado e significante. Se organizam em códigos e ou linguagem.

Significante: expressão do signo, que permite a transmissão do significado;

Significado: interpretação do signo, é o seu conteúdo;

-O Triângulo Semiótico (Estóicos)

Significado - Símbolo - Referente

= Pensamento - Palavra - Objeto denotado

-Wittgenstein - ?O significado de uma palavra é o seu uso na linguagem?.

-Saussure - Na relação semiótica entre símbolo e referência (ou significado), os objetos não são levados em consideração.

-Peirce - Entre signo e a série de seus interpretantes os objetos só entram em tipos particulares de signos.

A relação entre símbolo e referente  nas línguas é arbitrária; porém direta nos signos analógicos/ icônicos/ motivados.

-A nomenclatura  diverge entre autores.

DENOTAÇÃO E CONOTAÇÃO

Nomes absolutos: significam tudo do mesmo modo;

Nomes conotativos: modo principal e modo secundário;

Denotativo  = extensão

Conotativo = intenção ou compreensão

?Brasileiro?:

Denotativo = com nacionalidade brasileira;

Conotativo = adjetivo comparativo, dançador, alegre, não pontual, impreciso, ...

- Hjelmslev

Semiótica denotativa: significante (expressão) + significado (conteúdo);

Ex. Manual de instruções de um aparelho, sendo a expressão o texto e o conteúdo as operações propriamente dita.

Semiótica conotativa: expressão = semiótica (expressão + conteúdo);

Ex. A expressão do exemplo anterior divido segundo a língua, o estilo, e outros.

Metassemiótica: conteúdo = semiótica (expressão + conteúdo). Uma semiótica cujo plano do conteúdo é constituído por outra semiótica.

Ex. O conteúdo contém outra expressão e conteúdo. Um manual sobre como escrever um manual?

Um exame de sangue DENOTA uma composição química e CONOTA o estado de saúde do paciente.

CARACTERÍSTICAS DOS SIGNOS

O signo é dotado de  função signa, não é objeto.

SIGNIFICADO de expressão e de conteúdo (Saussure);  Enquanto índices ou ícones (Peirce);        Representação, interpretação e referentes (Peirce).

A Intencionalidade:

- Para Saussure  são intencionais, a semiologia cobre a linguagem, os alfabetos, as regras de comportamento, e outros sinais.

- Para Peirce NÃO precisam ser intencionais; todos os atos de interferência natural ou não, são atos semióticos.

- O signo é veículo sígnico para Morris, significante para Saussure, de expressão para Hjelmslev ou um rapresentâmen para Peirce.

Signo Natural - função signa inferida ou deduzida pelo homem;

Signo Artificial - função signa instituída pelo homem.

Signos Expressivos - entre natural e artificial, inconscientes ou intencionais..

Função

-Semântica - facilmente traduzível, prepara ações, máximo de transparência;

-Estética - de difícil tradução ou interpretação, como a arte em geral. O estilo da mensagem estética envolve uma espécie de jogo onde intervém, além do código comum, como a língua, um sobrecódigo. Granger: Ambigüidade e autoreflexibilidade são suas caracterísiticas.

As funções acima correspondem as propostas  por Jakobson como referencial e poética.

A percepção da informação estética depende tanto do emissor quanto do receptor.

-Signos Imotivados (arbitrário) e Signos Motivados

Qual a relação entre os signos e suas designações? Entre nomes e coisas? Segundo Sócrates os nomes são motivados por alguma coisa. Hermógenes contrariava, citando o exemplo dos escravos que mudavam de nomes quando trocavam de patrões. Saussure diz que o signo lingüístico é arbitrário, porém não significa livre escolha. A motivação obedece a várias modalidades: indicial (pancada na porta), icônica (similar ao objeto), etc.

AS FUNÇÕES DA LINGUAGEM

Monemas: unidade mínima de significado;

Sintagmas: palavras e frases;

Discursos

Outras Funções

-Expressiva: manifestação anímica, de natureza emotiva do emissor;

-Descritiva: ou enunciativa, informa sobre algo exterior, ao emissor e ao receptor;

-Apelativa: pragmático, linguagem em ato, promoção de efeitos.

-Fática: linguagem primitiva, função social, como as saudações, onde o conteúdo não é relevante.

- As funções de Jakobson:

Remetente (emotiva ou expressiva)                      

Contexto (referencial ou descritiva)

                                   Mensagem (poética)

                                   Contato (fática)

                                   Código (metalinguística)

                                                                                  Destinatário (Conativa ou apelativa)

 

-Emotiva: a mesma expressão com maior número de significado emocional / apelativo, e a utilização dos traços supra segmentais, como tons, acentos, timbres, entonação, etc.

-Metalinguística: a linguagem fala de si mesma, como a metassemiótica.

-Poética: quase como a função estética dos signos, com centro de gravidade na própria configuração da mensagem.  


Veja mais em: Linguística

Artigos Relacionados


- Funções Da Linguagem
- Variabilidade Lingüística & Morfossintaxe Do Nome
- Denotação E Conotação
- Denotação E ConotaÇÃo
- Linguística E Poética (parte 2)
- Extensão Ou Comunicação
- Diadorim, Riobaldo, Rosebud E Non; Ou LÓgica E Ontologia - Parte Ii

 
Sobre o site: Quem Somos |  Contato |  Ajuda
Sites Parceiros: Curiosidades |  Livros Grátis |  Receitas |  Frases e Citações |  Ciências Biológicas |  Jogos Online